segunda-feira, 14 de março de 2016

O que aprendi com o meu primeiro evento de anime



Olá!
Hoje trouxe um textão para vocês, mas acredito que ele vá trazer alguma luz para muitos, pois vou comentar sobre minhas impressões sobre o primeiro evento que fui para vender minhas ilustrações. Não sei se vou falar demais, coisas desnecessárias, ou não...Mas é algo que preciso desabafar mesmo.

Foi bem corrido! Eu voltei da viagem de férias e, cinco dias depois, de correria com coisas pessoais (e uma infecção no ouvido esquerdo que me deixou parcialmente surda T_T ) fui logo atender a esse evento que, desde o ano passado, já estava programado. Não comentei nada por aqui, no blog, porque sei que o pessoal que me segue aqui não é da região, então, não adiantava muito divulgar por aqui... Mas divulguei no face, e comentei de última hora, por amadorismo mesmo, no instagram.

Bom, o Anime Buzz, que estava em sua 10ª edição (sediada na SENAC de Canoas) para quem não sabe, é um desses eventos de cosplays, com concursos de fantasias, concursos de bandas, estantes de vendas de produtos relacionados a esse universo, e traz mais algumas atrações relacionadas como jogos e pessoas (como youtubers e dubladores de animes) que vivem nesse mundo para falar um pouco sobre suas experiências e etc... É um evento bem bacana para quem curte essas coisas. Eu já tinha ido a outros como visitante, para curtir o evento, e sempre me diverti por lá. :) E o bacana dele é que encontramos gente de todas as idades que curtem! É um ambiente muito amigável (apesar do preconceito de alguns com relação aos cosplays de algumas meninas... mas não vou falar sobre isso aqui).

Só que desta vez fui para "vender a minha arte". Vender meu peixinho. E era um peixinho pequenininho mesmo, porque eu estava lá no meio de peixões! Gente profissional, que trabalha com isso há mais tempo do que eu, e gente que leva a ilustração à sério mesmo.

Foi uma troca muito bacana! Tanto com o público (foi muito bom ver a reação deles com o meu trabalho — teve gente que saiu quase aos gritos, empolgado com a arte que levou! Sério! Isso me emocionou muito! T_T ainda mais porque eu ainda tinha muito receio e medo sobre o meu trabalho ) quanto com os outros ilustradores que, apesar de não termos conversado tanto quanto eu gostaria de ter conversado, pude conhecer um pouco do trabalho deles. E o bacana é que eram todos daqui, do Sul! E depois, todos eles foram passando de mesa em mesa, comprando prints uns dos outros para se apoiarem! :) Achei isso muito bacana mesmo! E lá naquele meio, estava uma ilustradora com quem me identifiquei bastante por fazer só trabalhos autorais (pois todo o restante vendia fanart), e por ter uma pegada mais lúdica também, como eu; e a Paola é de Cachoeirinha, tem um estilo próprio, é contra fanarts e também almeja o público infantil. Ela também é iniciante na área, embora não tanto quanto eu, e já tinha participado de outros eventos do gênero. E é super simpática e acessível! ;)



Aí em cima, uma foto do trabalho que eu trouxe para casa das outras meninas ♥ Saquem só o alto nível do trabalho delas *_* Da esquerda para a direita, ilustras da Bruna, da Fernanda e da Paola♥ 

Mas não saí do evento apenas carregando coisas boas, infelizmente. Talvez por falta de experiência minha, muito provavelmente pela falta de senso de empreendedorismo também, e principalmente por falta de associação!

Pois bem, fiquei sabendo dessa possibilidade por um amigo da minha irmã, que comentou para ela que uma amiga dele participava desses eventos de animes e HQs vendendo a arte dela, e sugeriu que eu tentasse (#ficadica). Então, me inscrevi, e me meti a fazer mais de 100 aquarelas para levar lá e... PÁ! Dei de cara com um muro.

Detesto tirar fotos, eu já disse isso? Pois detesto tirar fotos!

Mas como eu disse, provavelmente, foi por falta de experiência e falta de associação. Afinal, o nome do próprio evento diz: Anime Buzz. Ou seja, é um evento voltado para pessoas que curtem animes e HQs, e que estão lá para celebrar toda a comunidade produtora de animes e HQs. Ou mais ainda, que vão lá para consumir tudo o que envolve esses universos. E eu lá, bem inocente, com meu trabalho autoral. Hehe.

Só que lá estava um outro artista, como comentei antes, um peixe grande, que já trabalhou em grandes empresas como ilustrador e colorista. Muito do trabalho vendido dele é em parceria com essas empresas. Adorei conhecê-lo mesmo, o trabalho dele é realmente muito bom! E ele, pelo pouco que conversamos, me pareceu ser uma dessas pessoas de mente aberta para coisas novas. E o fato de estar lá, num evento pequeno, mesmo sendo um grande artista, também demonstra sua humildade. Mas uma coisa que me deixou pensando foi que, ele, mesmo tendo trabalhado para esses gigantes, estava ralando lá, no *evento de pequeno porte* como o Anime Buzz. E vendendo fanart.

E depois, chegando em casa, no Domingo (ontem, o último dia do evento), falei mais um pouco com a Paola pelo face, e trocamos algumas impressões sobre o Anime Buzz. Chegamos à conclusão de que tanto eu quanto ela tivemos dificuldade para vender nosso trabalho autoral... Pois a realidade é essa! E comentando mais sobre isso, percebemos que, né, se ele, o ilustrador peixe grande, com toda a sua carga de conhecimento, com toda a sua experiência no mercado (se não me engano, ele trabalha há uns 7 anos só com isso), precisa disso para pagar suas contas (e tenho certeza de que ele tem conhecimento sobre os direitos autorais!), o que dirá de nós, peixinhos menores, iniciantes na área, né?

Eu sempre fico com receio de postar minhas opiniões por medo de ser grossa sem querer, pois isso já me aconteceu. Mas eu acredito que seja necessário falar sobre essas questões, porque, se ninguém falar, ninguém vai se conscientizar, ninguém vai tentar virar a mesa... E acredito que uma visão mais crítica sobre essas coisas sejam necessárias para fazer a coisa evoluir, mesmo tendo consciência sobre as dificuldades do mercado. E é como dizem: a mudança tem que partir de algum ponto! Se ninguém puser a cara ao tapa, nada nunca vai mudar. Acredito que seja necessário falar abertamente sobre essas questões, porque esta é uma área muito fechada, muito restrita para muita gente..E esse é um assunto delicado que faz parte do universo de quem produz trabalhos autorais.

Para falar à verdade, às vezes me pergunto se estou apenas sendo cabeça dura, pois essa questão dos direitos autorais não é algo que fere alguém (propriamente dito). Mas, por outro lado, também acredito que, se não ferisse ninguém, as leis de direitos autorais não teriam sido criadas... Mas é realmente duro de se manter firme quando a maré vai contra você. O medo de ficar para trás, por não se adaptar às exigências do mercado, dos seus clientes, é constante. :/ É real! E isso que eu tenho outra fonte de renda. Imagino o sufoco para quem não tem!

Bom, continuando... Eu conversei um pouco com outra ilustradora, que também estava lá, e comentou como realmente nesses eventos só se vende fanarts. E para cada evento, ainda há um público específico — como, por exemplo, no Anime Buzz tinha muito adolescente procurando de tudo quanto é tipo de fanart. No comicon, segundo ela, vai um pessoal mais adulto procurando por fanarts de pinups, e ilustrações "mais adultas"(que fogem um pouco do estilo "fofinho"). Assim como no AnimExtreme vai mais crianças procurando fanarts do Hora de Aventura, e coisas que estão na moda... E por aí vai...

Como disse, é uma questão lógica. Esses eventos são para isso, e me parece lógico que o público queira consumir fanarts. Eu, como fã de mangás e animes, consumo materiais relacionados e entendo isso. Percebem o impasse?

Por outro lado, sei que não é impossível chegar ao patamar de vender somente trabalhos autorais, pois sigo muitos ilustradores que conseguem. Só não sei dizer como eles começaram, se tiveram que vender fanart no inicio para ir misturando com seus trabalhos autorais até chegar ao ponto de não precisarem mais vender fanarts, ou não... Talvez sim, talvez não. Mas, sentindo na pele, ali, vi que essa pode ser a estratégia de empreendedorismo mais viável nesse momento — ainda mais agora, que o mercado de quadrinhos (tantos nacionais quanto os trazidos de fora) só cresce no Brasil. Sei que é uma forma de conseguir colocar seu nome "nas ruas".

minha irmã postou no instagram dela!


Então, vou confessar que, lá, me vi obrigada a fazer fanart (com direitos autorais ativos), sim, se quisesse, pelo menos, de volta o dinheiro que paguei para o evento para estar lá. Levei meus papéis, minhas tintas, e fui criando na hora o que me pediam. Com a maior dor no coração. Pois várias vezes o pessoal se aproximava da minha mesa, me perguntando se eu tinha algum fanart disso ou daquilo (tinha levado apenas alguns poucos fanarts de personagens que caíram no domínio púbico) e eu tinha que dizer que não, e eles apenas respondiam: "Ah, que pena"! ¯\_(ツ)_/¯ e viravam as costas. Não queriam nem ouvir minhas declarações sobre a importância de apoiar um artista com trabalhos autorais. É a realidade.

E aí, o quê fazer?

O que me deixou com menos dor foi o fato de terem sido feitos ali, na hora, e não escaneados
para vender em massa depois. Embora um erro não justifique o outro, é claro.

Outro ponto que preciso comentar é com relação aos meus originais. Eu levei apenas originais, porque não "me liguei" à tempo de mandar fazer prints para o evento. Fiquei tão concentrada em ter bastante material para levar, achando que fossem necessários, que passei seis meses fazendo aquarelas atrás de aquarelas e não me toquei de levar prints mesmo. E praticamente todos os ilustradores que estavam lá, e passaram pela minha mesa, comentaram (senti que em tom de crítica, o que me deixou bem apreensiva) sobre o valor que eu estava cobrando por eles, dizendo que estavam muito baixos. Eu realmente tive dificuldades em estabelecer valores, levando em consideração que eu não sou ilustradora profissional, não uso os materiais mais caros, de melhores qualidades, e levei em consideração que não tenho curso (apenas uma oficina básica da Mary, que comentei aqui). Mas o cara, peixe grande, não vendia os prints dele a um valor muito mais alto que dos outros ilustradores menos experientes também, e fiquei na dúvida sobre quem estava mesmo cobrando errado (se é que havia mesmo alguém cobrando errado...) . Afinal, como eu poderia cobrar o mesmo que eles? Mas é algo que vou pensar mais a respeito, sim (pois sei da importância da valorização do próprio trabalho, e do trabalho dos outros). E ainda sobre isso, passando pelas mesas dos outros, vi que eles levaram pouca variedade... então, vi que provavelmente eu não precisaria ter levado tanta coisa também.

Mas um ponto positivo, que eu e minha irmã (que estava lá me auxiliando) percebemos, foi que fazer ilustrações na hora teve uma grande aceitação do público. As pessoas gostaram bastante de passar ali, e me pediam para fazer retratos delas também — coisa que os outros ilustradores não fizeram. Foi um diferencial. Então, deixo aqui a dica para vocês também. :)

Enfim, tive mais algumas outras impressões negativas, que acho que não cabem comentar aqui, mas posso dizer com satisfação que, pelo menos, foi um aprendizado e tanto, para se levar nas costas nos próximos eventos que eu for, SE eu for... Pois a Paola me deu dicas sobre expor em eventos de rua, com artesanatos, ou mesmo em brechós. Para quem faz trabalho autoral, pode ser uma boa investida... Acho que vale à pena tentar. E segundo ela, os organizadores desses eventos de rua gostam de variedade. Então, fica mais essa dica. ;)

E é isso, foi cansativo ficar lá das 10 da manhã até 18 horas sentada, mas valeu a experiência, sem dúvida! Realmente foi muito bom ver o pessoal folheando as minhas pastas, olhando o meu material, e elogiando. Foi muito bom conhecer o trabalho do pessoal também. Aliás, outra coisa bacana que vi, foi que haviam 4 meninas (contando comigo) e dois meninos lá. A Paola comentou que foi em outro evento, e estava sozinha, entre os meninos vendendo suas artes. :) De qualquer forma, foi ótimo trocar algumas ideias com todos eles! ♥ 


Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui: 

19 comentários

  1. Oi Bia! :D Tô indo catar você em todas as redes~ :B Mas já que entrei aqui primeiro vim comentar. Adorei seu trabalho e trouxe dois pequeninos comigo <3 Um de presente pra minha mãe, que adorou o Poe \o/ Então, os preços, eu concordo que você pode sim cobrar mais por originais e levar prints pra vender pelo valor que fez >w< Ter feito todos aqueles desenhos deve ter dado um trabalhão! (Parabens redobrado por isso alias! Tudo num capricho só çuç <3) Creio que assim valorizaria mais o seu trabalho (e consequentemente o dos demais artistas).
    Sobre essa questao dos direitos autorais e fanarts, se eu soubesse das suas opinioes teria sentado lá um tempo pra conversar. Sempre vejo fanarts a venda e penso em levar alguns quando tiver a minha propria mesinha, mas é uma questao que eu ia gostar de conversar com mais artistas por causa dessa questão de direitos :T
    Enfim, espero poder te encontrar em algum outro evento quando eu tb levar minhas coisinhas *-* Fiquei super animada em ver essa Artists Alley no AnimeBuzz pq até então nunca tinha visto isso em eventos de anime, só nas comiccons >w< agora tenho mais espaços pra me enfiar! hahaha <3 Abraço e boa sorte com seus trabalhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Teresa! ♥ não sabia que você desenhava também! Vamos conversar, sim! ;) É ótimo poder trocar figurinhas com mais ilustradores! realmente a questão da valorização do artista é importantíssimo, sim, e um pouco complicado, ao meu ver. Acho que há algumas discrepâncias, mas são coisas naturais, que ocorrem devido ao mercado... Mas vamos conversar! :D Fico MUITO feliz por saber que você curtiu meus desenhos! ♥♥ e que bom que sua mãe gostou também! \o/ Ah, sim, esqueci de comentar isso, que o artist alley é uma coisa que veio da Comicon, e que só agora os outros eventos estão começando a trazer também, realmente. Mas é um espaço, com tendência só a crescer nos eventos. Enfim, MUITO obrigada por passar aqui e comentar! ♥♥♥♥ vamos manter contato! ;)

      Excluir
  2. São postagens como essa que eu fico feliz em ler. Eu -como uma pessoa totalmente fora dessa área-, nunca saberia sobre seus pensamentos e informações que descreveu aqui. Nem o quanto elas são importantes para vocês *artistas lindos*

    E quero te dar os parabéns por mesmo ter batido a cara no muro (expressão sua), você foi lá com tudo, mostrou que é capaz (para você mesma) e ganhou experiência. Não vejo o porque de arrependimentos quando o que mais queremos é nos testar em situações como essa.

    Como mencionei antes, não sei quase nada sobre Ilustração e seus ilustradores, mas foi bom entender como esse mundo (+Hq, Anime....)funciona na prática ^^

    beijos. E obrigada por nunca desistir do Imperfeição Lietrárias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bárbara! Obrigada você pelo apoio e carinho também! ♥ eu entendo que quem é de fora não tenha conhecimentos sobre certas coisas, é normal, faz parte. Eu também não entendo tudo sobre medicina, sobre direito... hehe mas é justamente por isso que acho importante "colocar pra fora" todas essas questões que envolvem o que fazemos para que o público tome conhecimento também. :)
      bjsss :***********

      Excluir
  3. Oi Bia!
    Muito legal o teu relato, vem ao encontro de muitas coisas que eu penso que estão totalmente erradas e que, por algum motivo, ninguém fala.
    Primeiramente, participar de eventos foi uma coisa que risquei do meu calendário, não pelo trabalho envolvido ou pela troca com outros artistas, mas é pela aceitação por aqui. Interior é aquilo, as pessoas até gostam de apreciar arte, mas quando chega a hora de consumir, preferem uma coxinha com refri.
    Segundo, acho que artista que já tem uma certa trajetória participar de eventos menores e de todos os eventos possíveis é ser fominha, mesmo. Querer abocanhar todas as oportunidades possíveis pra fazer mais e mais dinheiro (minha opinião).
    E sobre fanarts, é algo que vejo acontecer direto em lojas online, que vivem dando destaque para esse tipo de produção, enquanto a autoria é relegada a segundo plano. Dá uma olhada na página principal do Colab55 e vê a quantidade de fanarts espalhadas por lá.
    E aí eu me pergunto: se existem empresas licenciadas que produzem todo tipo de figure, justamente para atender a demanda desse público, como fica o pequeno produtor, que deseja fazer o mesmo? Ou que fica com esse dilema dos direitos autorais? Por que uma coisa é eu fazer uma fanart para estudar, para homenagear, enfim. Outra é eu lucrar com isso, sendo que existe um sistema oficial.
    É uma questão super complexa e que não tem a devida atenção, justamente porque (acredito eu) vai cutucar o calo de muita gente, e muitas empresas vão sair perdendo. Mas espero que cada vez mais pessoas se questionem e busquem clarear esse entendimento.
    Tirando tudo isso, gostaria muito de ter visto tuas aquarelas ao vivo *------*
    Beijão! :****

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Lidy, confesso que fiquei mesmo com receio de postar isso, não quero ser grossa nem desrespeitosa com colegas (se é que já posso chamá-los de colegas) que fazem fanarts. Espero que tenha ficado claro que a minha crítica não é com relação a quem faz fanart, mas ao mercado e clientes que só visam isso (embora eu acredite que, em parte, o produtor também tenha alguma parcela de culpa). O problema está em todo o sistema. Mas, por outro lado, também não quero soar como uma "recalcada" que reclama por não fazer parte desse grupo, por perder clientes (e sei que é exatamente assim que pareço estar soando para muitos, e entendo isso também). Aliás, o que tentei (na medida do possível) foi mostrar uma visão neutra (como detergente!) de como as coisas funcionam. E como eu disse, ali, naquele caso, foi uma questão de lógica. Era lógico que o pessoal ali estaria mais interessado em fanart mesmo. E entendo mesmo isso. Eu, como fã de animes e mangás, realmente entendo isso. E entendo que essa questão seja como uma avalanche, que uma coisa vai puxando a outra. É complicado, sim. É complexo, e envolve muitas variáveis. Se tivessem criado uma fiscalização efetiva desde o inicio da criação da lei, acho que seria mais fácil de criticar. Mas hoje fica realmente difícil, principalmente para os tiozinhos da esquina que têm uma lojinha de dois metros quadrados vendendo camisetas estampadas, ou aqueles que têm uma lancheria usando um personagem famoso no seu logotipo e ganham só um pouquinho com isso. :/ Mas acredito que a visão sobre isso muda para empresas maiores que lucram em cima disso, sim...

      Eu já tinha visto, sim, o mundarel de fanarts na colab, no society6 e mais o escambal de páginas que tem por aí... Mas é isso, né?! A cultura do fanart, embora seja recente, já está bem enraizada. É algo que dá prazer em fazer também, né. Não vou negar... Mas é isso, né. Ossos do ofício, como dizem.

      Obrigada pelo apoio!!!!
      É sempre bom saber que não estamos sozinhos T_T ♥♥♥♥

      Excluir
  4. Oi, Bia! Que bom você de volta! Estava com saudade dos seus posts fresquinhos (mas não posso falar nada que eu nem tava de férias e deixei o blog muito de lado tentando focar em trabalhar e riscar algumas metas do papel xD)! Interessante seu relato! Tem coisas que a gente só aprende fazendo mesmo, né? Acho que foi uma ótima experiência pra você por tudo que você aprendeu. Se você for participar de um evento desse novamente, estará muito mais bem preparada. \o/ Acho que o problema não é vender arte autoral, mas vender arte autoral nesse tipo de evento. Eu gostava muito de ir nesses eventos quando era mais nova e, pela minha percepção, aqui tb as pessoas vão em busca de produtos com seus personagens favoritos. Até pouco tempo eu compraria um produto sem me questionar de onde vem essa arte, hoje tento sempre optar comprar arte de quem faz (e não de quem pega uma arte da internet e imprime em seus produtos)... mas essa questão de fanarts confesso que ainda é um pouco nebulosa pra mim. Vejo você com bons argumentos criticando, mas tb já vi pessoas falando que não tem problema desde que não seja uma produção em grande escala... não é algo que eu tenha muito costume de fazer tb (em especial para vender) então tb não é algo que me afeta tanto a ponto de eu ter esse questionamento ético muito forte em mim. Como é algo que claramente te incomoda muito de fazer, acho que, caso você queira ir novamente num evento desse vc poderia fazer retratos das pessoas no teu estilo (q tem um toque de mangá) e as vezes até incluir elementos divertidos como orelhinhas, acessórios de personagens que existem (e que as pessoas já usam nesses eventos). Como você mesma observou não é todo mundo que faz e chama atenção. Quanto a esse cara famoso que estava no evento, percebo que como ser artista não é lá a coisa mais fácil (mesmo pra quem é meio famoso), os artistas geralmente investem em várias frentes de trabalho para criar sua renda (ex. ilustram, dão aulas, participam de eventos e o que mais aparecer). Acho que é assim mesmo. E tb conheço muitos artistas meio famosos que fazem fanarts para eventos. E como te disse, já que pra mim é algo meio nebuloso se é um problema ou não, não julgo... Hoje acho que faz parte. Agora pra vc vender suas artes autorais que vc cria expontaneamente, talvez seja melhor de outras formas. Já que você produziu tanto pq vc não anuncia no facebook? Acho que já te falei q eu fiz curso de empreendedorismo e uma coisa que aprendi é que uma forma de ter melhorar esse senso empreendedor que vc falou é observar o que vc faz que as pessoas se interessam. Já que vc já tem esse material pronto pode ir postando e tentando vender e observando o q as pessoas tem mais interesse e o q tem menos. Tem até um grupo, não sei se vc participa, 'compro de quem faz das minas' que vc pode ir postando as suas coisas e observar se tem saída, se não quiser colocar no seu face pessoal pra vender. Não sei como é aí, mas aqui tem uns eventos que o pessoal vende várias coisas mas sem ser voltado pra esse público específico de anime. Conheço artistas autorais que participam vendendo suas artes pras pessoas usarem em decoração, cartões, botons, histórias em quadrinhos... mas tb tem gte que vende fanart, outros que vendem artesanato, bijuterias, roupas, comida... é bem diversificado. Se tiver algum evento desse naipe por aí pode ser uma boa pra vc testar tb! Tenho vontade de participar desse tipo de coisa e quero tentar ir esse ano. Beijos! Ps. Espero que seu ouvido esteja melhor! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Liliiii!!!! <3 Então, sim, foi exatamente esse o ponto que notei, eu que estava no lugar errado mesmo! era um peixe fora d'água! hehe. Esses eventos não são para artistas que só trabalham com coisas autorais mesmo, foi falha minha não ter me tocado nisso. Mas por um lado foi bacana porque teve bastante gente pedindo retratos também, então, acho que de qualquer forma valeu. hehe. Mas ando pensando em ir nesses eventos mais independentes, sim, como comentei ali. Acho que é um nicho mais específico. Eu vou tentar... Sobre essa questão dos fanarts, não é que eu me incomode, propriamente dito, de quem faz, entende? Na verdade, a coisa ainda está meio embaralhada pra mim também... Eu apenas fico me perguntando, "e se um dia eu descobrir que alguém está ganhando com um trabalho meu?" eu sei que isso soa meio mesquinho, por um ponto de vista, mas por outro lado eu estou no meu direito, né. já me aconteceu de no deviantart uma criatura ter copiado TODAS as ilustrações que eu postei lá na página dela, dizendo que eu apenas tinha trocado de página...mas tipo, depois a ela postou uns desenhos que acho que eram dela mesmo, e eram bem diferentes (embora tentasse copiar o meu estilo). E ela fez isso só porque passei um tempo inativa lá...foi chato, foi como se eu tivesse feito tudo aquilo só para a pessoa receber números de seguidores e favoritos (é assim que funfa lá), sem nem me dar os créditos por que ela disse que era dela! :/ E tu bem sabes que ilustração exige não apenas prática e compra de materiais como estudos também, mesmo que autonomamente... Mas sei que tem autores que estão de boa com isso. Alguns dizem que não se importam, outros dizem que desde que não passe de um pequeno número de vendas de seus personagens também não tem problema, enquanto outros são totalmente contra...Acho que estão no direito, né. Mas é complicado mesmo...Eu entendo porque ainda tu estás com duvidas...Eu mesma ainda tenho dúvidas. Quero muito consultar um advogado especialista nisso, mas pelo pouco que pesquisei por aqui, não há... Mas vou pesquisar mais... Mas é isso... E eu sei que a coisa não está fácil pra muita gente mesmo...por isso também fico me questionando sobre isso. Mas aí me lembro também que tem aquela coisa chamada ética de trabalho, que há em todas as áreas, né... É complicado, é complicado! T__T
      Ah, a infecção passou, mas ainda estou meio surda T__T enfim, obrigada pelo melhoras! <3
      bjsss :*************

      Excluir
    2. Deve ter sido beeeeeem chata essa situação! Acho muito estranho quem faz esse tipo de coisa. Acho diferente de quem faz fanart pq a pessoa quer pagar de criativa sem colocar uma gota de trabalho nisso (nem de criatividade, na real). Acho que uma boa forma de se relacionar com o mundo é não fazer com os outros o que a gente não gostaria que fizessem conosco... então acho q vc faz bem de não fazer algo que te incomodaria!!! Acho realmente importante a gente buscar ser integro com relação ao que a gente sente e pensa... mesmo nessas questões nebulosas! Enfim! :) Acho q outra ideia, caso você vá participar de outro evento desses, é vc fazer um zine! Seus personagens tem cara que vivem altas histórias! :) Beijos!!! Ps. E o ouvido? Já foi no médico?? Espero que já esteja 100%! Ouvido ruim incomoda muito!

      Excluir
  5. Oi, Bia!

    Tava super ansiosa para deixar meu comentário aqui, pois já tinha lido antes o post, mas só agora consegui parar para escrever *_* Fiquei muito feliz de ver meu desenho no seu mural, e também de ter conhecido você. Vou colocar o seu em uma moldurinha para decorar meu estúdio, aguarde!
    Ler seu relato foi como relembrar algumas coisas da minha primeira experiência em eventos. A diferença é que acho que você está muito mais preparada e sabendo o quer produzir do que eu quando comecei. Talvez você não consiga enxergar isso, é sempre muito difícil saber aonde estamos hoje, mas acredite você está no caminho certo!
    Eu comecei aos trancos e barrancos, dá canseira só de lembrar o que fiz nesses últimos 2 anos, kkk. Mas foi só assim que fui me encontrando e me descobrindo como artista. Pensa bem, em seu primeiro evento se já foi com um estilo muito particular e autoral, com um quantidade imensa de material, um blog cheio de postagens... Então eu digo, sua trajetória não vem de hoje...!
    Lembro que no meu primeiro evento levei minha mãe, irmão e uma tia para me acompanhar e era minha mãe que fazia os contatos pois eu morria de vergonha! Na época eu só tinha uma ÚNICA revista em quadrinho mais nada. Mas se não fosse tomar uma atitude na época eu ia desistir. Na verdade já tinha desistido e quando me dei por fracassada peguei a única coisa que tinha e fui com ela mesmo.

    Nossa tenho mais coisas para comentar, por isso vou dividir o texto para não ficar muito extenso, amanhã continuo... kkk
    Vou deixar aqui abaixo o relato que fiz na época do meu primeiro evento.

    http://blog.paolarech.com.br/2014/11/registro-do-9-mutacao-na-feira.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paola! Legal saber sobre tua primeira experiência também! Já, já vou lá ler! Realmente, eu me demorei para me assumir como uma pessoa que desenha. Até pouco tempo não mostrava meus desenhos para ninguém. Criei este blog no ano retrasado, se não me engano (os posts de 2010 são de um outro blog - mais voltado para resenhas de mangás e animes - que eu tinha, e migrei para cá)! Mas foi, principalmente, a minha irmã quem foi me dando os empurrões. Se não fosse por ela, não teria ido lá. Não teria nem criado esse blog (que é mais voltado para os meus desenhos mesmo). E se ela não tivesse ido comigo lá, provavelmente eu não teria ido também! Eu tava super nervosa lá! Mas eu já tive uma disciplina sobre propriedade intelectual no curso de design gráfico que fiz, por isso, desde o inicio tenho essa questão sobre os direitos autorais em mente, talvez por isso pareça que tenho uma trajetória mais longa... Mas enfim, te entendo perfeitamente sobre a vergonha!!! Pode perguntar pra minha irmã! iauehiaueh eu tava até com vergonha de postar aqui esse relato, pra tu ter noção! haha

      Excluir
  6. Muito bom seu relato dessa experiência, chegar cru nessas coisas é isso mesmo, mas o bacana é que agora você já sabe o que avaliar em uma próxima oportunidade. Acho que as "feirinhas" seriam ótimos lugares para você experimentar expor seu trabalho, conheço artistas que participam e gostam bastante (dá uma olhada se tem algum evento desse por aí: https://www.facebook.com/PicniKGyn/?fref=ts). Quanto a fanart to como a Lila, ao mesmo tempo que concordo 100% com o seu argumento e que legalmente é um crime mesmo, também fico naquela de "será que prejudica mesmo o detentor dos direitos (grandes estúdios...)? Pq de certa forma faz o personagem ainda mais popular...", além de que sim, adoro fazer fanart. Mas voltando ao evento, achei d+ essa parada de vc desenhar lá na hora, é um diferencial e tanto, eu ficaria super insegura com pessoas me olhando hahaha. Curti tb a ideia da Lila, de vc desenhar as pessoas, acho que faria sucesso, já fiquei imaginando <3 bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada pelo apoio, Thaty! <3 Pois é, ainda tem essa questão de tornar o personagem mais popular, sim. Já vi muitos autores dizerem isso. >_< é complicado mesmo. tem vários prós e cons... mas enfim...obrigada pelo link também, vou dar uma olhada, sem dúvidas T_T sabe que eu achei q fosse cagar tudo também, com gente me olhando, mas acabou dando tudocerto! o/ eu tive a ideia de levar os meus materiais, pq já vi videos de eventos gringos desse tipo, em que os artistas levavam seu material e produziam na hora também... dai resolvi levar. Foi bem bacana mesmo! Saí de lá com o pescoço duro, mas curti! haha se tu tiveres a oportunidade, faz isso também!!! <3 <3 e posta fotos!!!! xD
      bjsss :*************

      Excluir
  7. Dando continuidade mas falando agora sobre trabalho autoral... certa vez em uma palestra ouvi do próprio Fábio Moon e Gabriel Bá falarem que “Felizmente não deram certo desenhando quadrinho para gringa”! Talvez se tivessem passado pelos testes dos estúdio de lá, eles nunca teriam feito trabalho autoral...E consequentemente não teriam levado todos os prêmios pela criação deles. Isso faz a gente pensar... Agora, quanto tempo levaram para conseguir chegar a esse patamar, daí isso é outra história!!

    O fanart pode sim encurtar esse processo, acredito até que seja possível viver fazendo isso, desenhando em casa, recebendo encomenda, vendendo na internet e indo a eventos. Fala sério quem não ia querer isso? Mas será que vai valer a pena depois? E quando você crescer e tiver com seus livros e personagens rodando o mundo? Eu não gostaria nem um pouco de ver meus personagens sendo plagiados por ai, pode me chamar de mesquinha se quiser ... então é algo para pensar.

    Por isso que pra gente que está no início de carreira é muito fácil se perder. São muitas questões envolvidas. Se posicionar é uma delas. Que tipo de artista você quer ser? Agora pense por esse lado: Temos a sorte de não precisar viver dos nossos desenhos. Não precisamos nos render aos fanarts. Podemos continuar fazendo a arte que gostamos e cobrando um preço justo por isso. Dessa maneira as coisas vão se encaminhando, sem desespero, sem manchar sua integridade, enfim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dificilmente alguém que está começando consegue já alcançar o sucesso de primeira, realmente. Por algum lugar, a pessoa sempre começa. E, sem dúvida, sei que tem gente que consegue trabalhar em casa, fazendo o que gosta. É um dos meus humildes sonhos também. haha Mas realmente, ainda há muito o que se pensar sobre o assunto. Talvez seja uma questão de escolher os caminhos que a gente que trilhar para chegar onde queremos chegar. E se posicionar, como bem dissestes, é um desses caminhos mesmo. É bem isso que fico me perguntando mesmo "que tipo de artista quero ser". Mas acho que, por outro lado, tem disso também... Talvez, se eu não tivesse essa outra renda, não pensaria dessa forma. Talvez eu esteja pensando assim agora, justamente porque eu tenho isso, né?! Eu acredito muito nisso também, que as pessoas se posicionam socialmente de acordo com o modo como elas vivem... E aí já entra em outras questões mais subjetivas, mais complicadas... Mas por enquanto, é assim que tenho pensado, já que tenho essa posição privilegiada de ter outra forma de renda, não há por que eu me submeter a certas coisas, mesmo... pelo menos, penso assim, né.
      obrigada por compartilhar aqui o teu ponto de vista! é muito bom mesmo saber que não estou sozinha com relação a esses pontos! <3 hehe porque as vezes eu realmente fico na dúvida se não estou exagerando...

      Excluir
  8. Oi Bia!
    Bem, achei super bacana a ideia de você participar de um evento como esse. Eu sempre costumo ir quando acontecem aqui no Rio, normalmente é o Anime Club, Nitokyo e lá só tem pessoas vendendo fan arts mesmo.
    Cada lojinha so tem mangás, botons, canecas, camisas, tudo de animes, nunca vi nenhum que vendesse um tipo de arte autoral (o que é bem chato).
    Acho que tudo vale como experiência, eu tenho muitas dúvidas sobre colocar valores em minhas ilustrações, justamente pelo mesmos motivos que o seu; os materiais e a "popularidade", tempo de carreira e blá blá.
    O mais complicado é você expressar sua arte autoral e o público só quer ver aquilo que todo mundo faz e não sabem apreciar o novo. Aí entra a questão, faço o que querem ver ou ensino eles a vêem o que vejo?
    Quando conheci seu blog fiquei apaixonada por usas ilustrações "é a cara da Bia" , algo muito bom que você tem é essa identidade, de longe já sei dizer se é seu arte. Acho que você deve mesmo investir no que é seu, não importa o material que você usa, tem gente que faz arte com lixo, sucata, café; A importância que você dá a elas que devem relevantes, seu tempo gasto, seus estudos, seu talento e NUNCA se comparar a outros artistas só pq estão a mais tempo no mercado.

    Eu também tenho muitas dificuldades em relação a isso, não acho minha arte muito boa, só fui começar a divulgá-las em maio de 2015, até então não deixava ninguém ver pois me achava péssima ( até hoje escondo um pouco) e o maior medo é que muita gente diz : Pq você não pinta uma paisagem? Eles não entendem o que quero passar e beleza que veem é diferente da que eu vejo.

    Não sei se da pra entender o que quis dizer ahahah, mas acho válida sua experiência e sua arte é maravilho, já to lá participando do sorteio pq sou sua fã ♥ Sucesso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Izaaaaa!!!! Pois é, já vi gente fazer maravilhas com papel higiênico e grãos de arroz!Acho que é muito mais uma questão de técnica do que de materiais, mesmo (apesar de que eles devem ser considerados sim, já que pesam no bolso)... Mas é complicado a gente se auto julgar, porque as vezes, aquilo o que a gente pensa não é bem a realidade. Por isso acho importante sempre pedir opiniões de terceiros (e da família e amigos nem vale também!). Mas é complicado mesmo. Mas acho que tu falastes muito bem, é ou "a gente fazer o que eles querem ver, ou mostrar a eles o que eu vejo"! De qualquer forma, valeu a pena mesmo ter ido, tanto pelos contatos, quanto pela reação do público e para ver como as coisas funcionam.
      Obrigada pelo carinho!!!! ♥♥♥♥♥ ora, imagina, eu é que sou tua fã!!!!! T___T

      Excluir
  9. é doído ver esse tipo de coisa, ainda mais qdo vc rala pra criar algo novo e o pessoal qr "mais do mesmo". mas se valeu o aprendizado, ja valeu alguma coisa! qto ao valor a se cobrar, ate hj nao sei exatamente o q devo cobrar, mas eu me estabeleci um valor, caro ou barato, pra ter o q eu faco, tem q pagar eu preco! se vc pensar mto em cobrar mais barato pra agradar o cliente, nao paga as contas no fim do mes! poxa, se eu tivesse ido ia qrer um retrato meu e nao um fanart! narcisista? eu? magina! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahahahaha pois é, teve gente que pediu retrato xD sobre a questão dos valores, eu ainda to pensando, na verdade, por que isso ainda tá bem confuso na minha cabeça... até escrevi um post sobre isso, que vou publicar amanhã, talvez...mas enfim...obrigada pela visita, Liv!!! (só te reconheci pelo Muramoto xD não sabia que esse era teu nome haha) bjsss :************

      Excluir

Agradeço aos que reservarem um tempinho para comentar! ♥
Ah!, se tiver alguma sugestão de post ou quiser mandar alguma dúvida, ou qualquer mensagem, vou amar receber *-*

© 2016 BIAREYS.COM.BR ALL RIGHTS RESERVED. Tecnologia do Blogger.
© Bia Reys
Maira Gall