terça-feira, 18 de agosto de 2015

Links interessantes


Olá,
Hoje estou trazendo mais alguns links interessantes que guardei desde a última vez que postei links aqui. Desta vez, como podem ver, a lista está mais recheada com informações relativas a trabalhos artísticos mesmo, mas espero que todas possam apreciar. :)

♥ Arte feita com linhas, pela Debbie Smyth. Achei o trabalho dela muito interessante. Apensar de já ter visto algo parecido...Mas nunca é demais. :)
♥ 15 coisas deliciosas que podemos cozinhar em canecas. Esse aqui é uma super dica para quebrar galho nos dias em que não estamos com saco pra cozinhar coisas elaboradas, ou mesmo quando estamos sem muitas ideias do que fazer para lanche da tarde. :)
♥ Se doenças fossem monstros. Esse é o Toby Allen dando um banho de criatividade na gente! T_T
♥ Customizando estojo de aquarela. Achei essa dica muito valiosa para quem vai viajar e não quer levar um monte de caixinhas com pincéis e tubos de tintas na mala. Super prático de customizar também.
♥ Príncipes da Disney realistas. Princesas realistas tem aos montes, e agora foi a vez dos príncipes. Os meus favoritos foram o Éric, o Adam e o Tarzan. *_* e os seus?
♥ Como o cachorro-quente é consumido no mundo. Esse link achei legal para quem quiser aprender um pouco mais sobre como variar o seu cachorro-quente. Ele está em inglês, mas é só jogar os ingredientes no tradutor do google. ;)
♥ Vida de rico. Um texto para refletir sobre a época em que estamos vivendo no país.
♥ Artistas fazem escultura hiper-realista de anjo caído. Dispensa comentários. Esse é para ver, e ficar de queixo caído mesmo!
♥ Como a Pixar manipula as cores para te emocionar. E esse é bem interessante para quem se interessa por teoria das cores.

E é isso. espero que tenham gostado de, pelo menos, um dos links. T_T

Obrigada por acessar o blog! ♥
Me encontre também aqui:

domingo, 16 de agosto de 2015

4º Festival do Japão: eu fui!



Olá!
Ontem e hoje (15 e 16 de Agosto) aconteceu em Porto Alegre o 4º Festival do Japão. Infelizmente, não pude visitá-lo no primeiro dia, mas hoje fui lá e resolvi trazer para cá um pouco da minha experiência.

O evento começou as 10 horas da manhã no pátio interno da Academia de Polícia Militar, mas eu e o namorado chegamos um pouco depois, quase às onze horas. A entrada era gratuita, mas eles estavam recolhendo alimentos não perecíveis. :) O objetivo do evento era celebrar a vinda dos japoneses ao Brasil, compartilhando um pouco de sua cultura, entre costumes, culinária e lazer para os visitantes.

Bom, estava tudo muito bacana, as apresentações foram lindas, mas senti alguns problemas... Eu não sei como estava no sábado, mas creio que depois que a Zero Hora (jornal do grupo RBS) divulgou ontem o evento no portal online, o festival consequentemente ganhou mais visibilidade, o que gerou quase uma superlotação. E pelo que senti, foi quase como se eles não estivessem preparados para tanta gente. Na verdade, as pessoas chegaram em bando depois do meio dia. Antes disso, estava tranquilo. O palco parecia ter tamanho suficiente para os apresentadores, mas depois que as pessoas foram chegando mais, e enchendo o local, tive a sensação de que os apresentadores estivessem quase encurralados num cantinho, enquanto um monte de gente sem educação (porque conversar com seu acompanhante parecia mais importante do que as apresentações) lotava a área principal do evento. Sem falar que tinha uma apresentadora lá muito despreparada (pra não dizer grossa).




Dentro da programação do evento estava exposições de produtos artesanais e oficinas. Tinha oficina de bonsai (como cultivar um — e encontrei lá um pequeno bonsai de Sakura <3), oficina de origami, oficina de pintura (que no fim, não consegui tirar fotos, porque estava lotado T_T), e ainda tinha uma demonstração da cerimônia do Chá, que também não pude ver T_T por conflitos com horários. A cerimonia é longa, e como eu já vi em vídeos, resolvi priorizar as apresentações.




Este moço com o Shamisen (o instrumento musical que ele está tocando) é o primeiro a tocar e lançar um cd de músicas tradicionalistas japonesas na América Latina. A apresentação dele e do seu grupo foi maravilhosa! Mal consegui tirar os olhos deles! ♥

E este japa aqui embaixo, me conquistou com sua simpatia, simplicidade e humildade! Ele falava um português muito pobre, com um forte sotaque japonês, mas a gente via que ele estava ali de coração (apesar da propaganda que fez de sua empresa hehe). Eu realmente fiquei indignada com a falta de sensibilidade e tato das pessoas a minha volta, que não estavam apreciando o fato de ele ter ficado dentro de um avião por 22 horas (segundo a apresentadora do evento) só para cantar durantes esses dois dias para nós. É bem verdade que as músicas que ele cantou eram bem calmas, paradas, mas foram todas compostas por ele. E ele cantou muito bem! ♥ Tive vontade de sair de onde eu estava para abraçar e agradecê-lo por sua apresentação, porque ele não ganhou palmas suficientes.  :(


Além das apresentações musicais, então, teve também demonstrações de artes marciais. Kempô, Karatê e Kendo. Ainda teve Aikidô, mas como fomos embora um pouco antes do evento acabar, não conseguimos ver este último. :(

Aqui embaixo, estão fotos de 3 grupos de dança, todos formados por senhorinhas japonesas ♥ residentes aqui no Rio Grande do Sul e São Paulo (se não me engano)! E coloquei ali uma foto que consegui das moças com suas Yukatas lindas! ♥__♥ (tinha até um Inu Yasha passando aiuehauie)






E este moço lindo de quimono?! Eu ia tirar uma foto de rosto dele, mas como não pedi licença, achei melhor não fazer isso. Até porque ele não estava fazendo cosplay, ele estava lá de quimono em respeito à sua pátria mesmo.

Enfim, como disse antes, achei que algumas coisas foram mal planejadas, como o palco de apresentações e, principalmente, as barraquinhas de comida (eu deveria ter tirado fotos, mas realmente esqueci desse detalhe). Depois do meio dia, ficou beeeeem complicado de transitar por aquela área. Ainda bem que a comida estava excelente, fazendo valer a espera. Mas poderia ter sido melhor organizado. 

Para encerrar o post, então, apesar dessas pequenas chateações (e quanto mais reclamona fico, mais percebo que estou ficando velha T_T), o evento, como um todo, foi mesmo lindo de se ver! Achei melhor até do que esses eventos de anime/mangá que fazem todo ano, porque aqui eles trouxeram cultura mesmo. E as pessoas estavam todas sorridentes, felizes, apesar do tempo nublado e meio friozinho que fez.  :)


Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui: 

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Tutorial: efeito 3D em imagens



Olá!
Resolvi compartilhar hoje com vocês esse efeito (que é ridiculamente simples de fazer) que descobri no photoshops. Vocês já devem ter visto por aí fotos assim, que imitam o efeito 3D. Tem alguns artistas ilustradores que também fazem uso desse efeito em suas ilustrações. Eu achava que eram linhas a mais que as pessoas colocavam como contorno (no caso das ilustrações), mas não! É algo ridículo, de tão simples.

Para mostrar aqui para vocês, peguei uma foto minha de uma viagem que fiz ao município de Mussum, aqui no Rio Grande do Sul, onde tem essa ferrovia alta (sim, trens passavam ali T_T e o troço é muito alto mesmo!!!)

O primeiro passo, é...duh, abrir a foto no photoshop. Feito isso, vocês arrastem ela até aquele iconezinho em que eu indico na imagem acima, e isso fará com que a sua imagem se duplique. Vejam na imagem abaixo que ali eu tenho duas cópias da mesma foto na lista de layers. 

É com a segunda que vocês devem trabalhar. Mas deixe a primeira ali, quietinha. ;) 


Segundo passo, então, é clicarem naquele segundo item em que marco aqui, (com o número 2). Ele vai expandir uma lista de opções. Vocês vão clicar na primeira opção, que é a Blending Options (não sei como está traduzido para o português). 

Bom, ali no Advanced Blanding, onde circulei em volta da opção do Red, (R), desmarquem ela. É só verem como está na imagem ali, e comparar com o que vocês têm na tela de vocês.

Feito isso, cliquem em ok. Vocês verão que não mudou necas! Mas, calma, basta mover a imagem de vocês um pouquinho para a direita ou esquerda, e a mágica está feita! xD





Eu testei antes com algumas fotos com mais luz, e o efeito me pareceu bem fraco. Acho que ele funfa mais com imagens mais escuras mesmo. Mas vocês podem fazer os testes de vocês aí, também.

Bom, talvez, alguns de vocês já soubessem desse truquezinho, mas enfim, eu não sabia e adorei! xD

Não significa que vou usar isso em todas as minha ilustrações, pois, apesar de legal, acho um tanto desconfortável de se olhar imagens com esse efeito. Mas há quem goste. :)

Obrigada por acessar o blog! ♥
Me encontre também aqui:

sábado, 8 de agosto de 2015

Influência, inspiração e referência: o que são?


Olá!
Talvez eu não seja a pessoa mais apropriada para falar sobre isso, por nunca ter feito um estudo aprofundado sobre esse assunto, mas é algo que coça atrás da minha orelha há um bom tempo, desde a época em que estudava Design, pra falar a verdade. Principalmente, por que esse assunto tem relação com o plágio. E, para quem não sabe, já fui alvo no deviantart de uma pessoa que simplesmente salvou minhas ilustrações no perfil dela, e não teve nem a capacidade de tirar a minha assinatura, dizendo apenas que eu tinha mudado de perfil para o que ela tinha criado  (olha a cara de pau) — pois, na época, fiquei inativa no site por um bom tempo, e ela, de certo, achou que eu não estava mais acessando o site e não veria o que estava fazendo! Só que, apesar de não estar postando nada, eu acessava para ver os trabalhos dos artistas que eu seguia lá, sim. E fui alertada por outras pessoas que me seguiam. Então, entrei em contato com a criatura e consegui fazer com que a pessoa retirasse minhas ilustrações. Ou seja, ali, a pessoa agiu totalmente de má fé, pois nem um pedido de desculpa foi dito pela criatura! ¬¬  Depois, tive dois ou três casos de plágio das minhas fanfics, e nesses casos foram por falta de informação mesmo. Conversei com as pessoas numa boa, e elas entenderam que o que estavam fazendo era errado. No fim, deu tudo certo. :) Além disso, agora, o site em que eu postava, está fazendo um trabalho excelente contra o plágio.

Bom, o que quero dizer é que algumas pessoas simplesmente confundem as coisas e acabam, então, muitas vezes por falta de informação, copiando, plagiando. Então, desde que escrevi aquele post sobre fanarts, a ideia de escrever esse post foi fermentando na minha cabeça, porque esse era outro assunto sobre o qual eu queria escrever também (até já tinha escrito algo parecido no meu blog antigo, mas era muito mais voltado para a escrita, e aqui acho que consegui mesclar um pouco — escrita e ilustração)... E aí teve o post que a Lidy liberou essa semana sobre cópias (muito bom!), e resolvi por a mão na massa. Pois como eu comentei à Lidy, acredito que nós, que temos essas informações, temos o compromisso de educar (como ela mesma diz) os demais que não tiveram acesso a essas informações. Por isso, fui atrás de referências, e fui lendo tudo quanto é material que encontrei por aí (e que, infelizmente, não foram muitos!) a respeito para poder escrever aqui.

Afinal, quem nunca se perguntou a diferença sobre eles? Agora, para mim, eles são bem distintos, mas entendo que para alguns ainda pode ser complicado de compreende-los. Na verdade, foi só depois de um tempo que consegui entender a distinção de cada um deles, porque realmente eles possuem características que conversam entre si... E como se esses três bichos (influência, inspiração e referência) já não fossem o bastante para  confundir,  ainda há um quarto bichinho chamado "intertexto" — que não apenas está no meio literário, na música, no cinematográfico, na publicidade... como também pode estar inserido em qualquer outro meio gráfico e artístico.

Bom, para entendermos o que é o intertexto (vou começar por ele), pensamos da seguinte maneira: imaginem uma colcha de retalhos (esse exemplo da colcha de retalhos não é meu, foi algo que uma professora minha citou em aula, e que exemplifica muito bem). Cada retalho possui uma cor ou uma estampa diferente. O intertexto é isso; é você ter um objeto inteiro, feito de vários pedaços de outro(s) objeto(s), e cada uma dessas partes (que compõe o novo objeto) devem dialogar entre si de forma harmônica para que possam, no final, fazer um sentido, ter uma funcionalidade. Ou seja, é um texto dentro de outro texto. Ah, para quem não sabe, o termo "texto", não se refere somente a um conjunto de palavras escritas. Simplificando, o texto pode ser qualquer coisa que passa alguma mensagem (ilustração, foto, música, propaganda, apresentações em slides, etc...)! ;)

Na literatura (área em que a intertextualidade é mais comumente associada) acontece assim: é como você ter uma história que cita outras histórias (ou elementos de outra história). É eu ter um enredo em volta de um crime, e citar personagens ou acontecimentos de outras história do mesmo gênero (ou não, desde que façam sentido!). Em os Lusíadas (o terror de muita gente! minha, inclusive), por exemplo, a quantidade de intertexto é imensa! De maneira quase que implícita (pois é preciso estar atento para identificá-los), Camões dialoga a história do navegador (não me lembro agora os detalhes) com a mitologia grega. Ou seja, para leitores mais atentos, e que já tenham tido uma educação sobre mitologia, as referências são até claras. Mas é importante perceber que o cara não recriou a mitologia, mas se apropriou de alguns fatos e histórias narradas pela mitologia para compor o seu próprio texto. Como na série (não li os livros, só vi o primeiro filme) do Percy Jackson, ou mesmo no maravilhoso Cavaleiros do Zodíaco. o/Ambos utilizam elementos da mitologia em suas histórias. E todos eles contam histórias diferentes, bebendo da mesma fonte. :)

No meio gráfico, temos esses dois exemplos clássicos:




As referências a quem os criadores do Simpsons estão fazendo nessas imagens são tão óbvias, que chega até a ser impossível de chamar de plágio. Mas claro, isso, somente porque essa capa do Nirvana e do The Beatles são tão icônicas, tão fortes, tão conhecidas, que permitiu ao cara lá fazer essa brincadeira sem precisar dizer nada. Isso não significa que podemos pegar qualquer artista e fazer o mesmo por aí. A não ser, é claro, que se faça isso de maneira explícita e consentida pelo artista referenciado.

Ou seja, cerveja a intertextualidade possui uma função, sim: a da comunicação (que também é trabalhada na ilustração, ou qualquer obra de arte). E para que a ela funcione, é claro, é preciso que o receptor da mensagem conheça a referência, caso contrário, não surtirá efeito algum. Basta imaginar o seguinte: caso você não conhecesse a capa do Nirvana (e todo o contexto por trás dessa capa, e nem os Simpson e seu costume de satirizar tudo), e visse somente a ilustração do Bart embaixo d'água nadando atrás de uma nota, lhe faria algum sentido? Provavelmente, não. Ela seria apenas uma ilustração de um menino amarelo atrás de uma cédula presa como uma isca.

Assim, será que intertexto e referência não são a mesma coisa?
De acordo com a Infoescola (site confiável), sim, são.

"A Referência é o ato de se mencionar determinadas obras, de forma direta ou indireta. [...] Ela é igualmente conhecida como ‘intertextualidade’ ou ‘polifonia."

E os dois outros bichinhos? Influência e inspiração? Será que existe mesmo alguma diferença entre eles? E o que importa saber sobre eles?

Eu acredito que a diferença seja tênue, fina, mas bem clara, sim. Pesquisando sobre isso, encontrei o blog da Veridiana, em que ela diz muito bem:

"A inspiração retira, de um, alguma emoção para que se construa outro sobre a mesma perspectiva, mesmo que “um” e “outro” sejam de diferentes áreas criativas.[...]

A influência, docilmente maliciosa, exerce poder direto sobre o processo de criação. Altera raízes e modifica personalidades inteiras em vários âmbitos da existência. É inegável e duradoura."

Acredito que a influência, diferente da referência (em que os elementos são visíveis e facilmente identificados), é mais sutil. É possível, sim, ver em quem o artista se influencia (mas muitas vezes é tão sutil que percebemos somente depois que ele admite tal influência) através da observações de certas características (geralmente técnicas). Pode estar num aspecto do traço, numa técnica de pintura, na poética, mas ela está lá, de alguma forma não óbvia — diferente do que ocorre com a referência. :)

Já a inspiração, para mim, sempre aconteceu da seguinte forma: eu observo alguma coisa, uma pessoa, por exemplo, e graças a algo que essa pessoa faz, diz, ou veste, eu tenho uma ideia derivada daquilo. Então, eu diria que a inspiração é isso, é sempre uma derivação de algo. A inspiração pega algo emprestado de alguma coisa, e transforma essa coisa em outra bem diferente. Acho que posso ir um pouco mais além e afirmar que inspirar é modificar uma ideia e transformá-la em uma nova ideia (agora fiquei na dúvida se não ficou redundante ¬¬). Inspirar é quando, por exemplo, você vê um coelho saltitando, e tem a ideia de escrever ou desenhar sobre pássaros voando (imagens diferentes, embora haja um "cerne" comum nessa ideia, que é a o do animal). É tirar uma ideia, dentro de outra! Vejam bem: não é pegar uma ideia e apenas modificá-la. Não é ver um cachorro labrador correndo, e desenhar um filhotinho de buldogue correndo (isso não é mais inspiração, é referência — e nesses casos, você deve citar a fonte). Deu pra sacar?

É claro que isso não significa que só por que eu escrevi ou desenhei sobre um cachorro labrador correndo, que ninguém mais no mundo poderá desenhar ou escrever algo original sobre um labrador correndo! Há um série de questões que precisam ser analisadas nas obras antes de sairmos fazendo julgamentos, como a própria poética do trabalho, o estilo, as técnicas, poses e ângulos (no caso da ilustração), descrições (no caso da escrita), entre outros tantos elementos... :)

Bom, acho que é isso. Se alguém discorda de algo, ou tem algo a acrescentar, sinta-se livre para comentar. Como disse antes, acho importante que artistas se unam contra plagiadores — sejam eles os de má fé, ou aqueles que apenas sofrem com falta de informação. E falando nisso, a Carolina, do Fada Mariposa postou essa semana também sobre dois casos de plágio que aconteceram com ela. E a Ana Blue do 9dade Solta também. As duas sofreram casos diferentes de plágio, que acho que vale à pena conferir... E a Ana ainda dá uma dica SUPER bacana sobre como encontrar fontes de imagens no google — que serve para todos os que não utilizam imagens próprias em seus blogs. ;)

Finalizando, então, acredito mesmo que temos que nos unir e combater contra esse tipo de coisa, porque é algo que realmente incomoda muita gente. E o plágio não perturba somente ilustradores, ele pode acontecer com qualquer um, desde escritores, desenvolvedores, músico, designers, publicitários, e se estender até mesmo a trabalhos escolares e universitários, sim!

Infelizmente, não há muito material na internet que esclareça tais diferenças. Se alguém souber de algum livro que aborde a respeito, por gentileza, comente abaixo. A Camila, do Meninices da Vida, postou sobre o livro "Roube como um artista" que parece falar alguma coisa sobre o assunto. Já estou providenciando colocar as mãos nele. :D (portanto, pode ser que eu ainda volte aqui para acrescentar mais alguns detalhes nesse post — mas avisarei)

Obrigada por acessar o blog! ♥
Me encontre também aqui:

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Sobre meu sketchbook novo, meninos e minha camiseta



Olá!

Eu já tinha mostrado para vocês o meu scketchbook neste post. Agora vou mostrar o que tenho feito nele...

Ainda não consegui desenhar nada depois da viagem T_T, de modo que não há mesmo muito o que mostrar... Mas ando namorado alguns quadrinhos que tenho visto pela internet, e me arrisquei a fazer alguns (isso antes da viagem). Eles não mostram exatamente uma história linear... Acho que ficou mais a nível conceitual, de estudos mesmo. Ou não. Sei lá. hehe. Enfim, também quero desenhar mais meninos. Vi Ponyo pela segunda vez, e me re-encantei com o Sôsuke (principalmente o cabelo dele). Os meninos sempre me despertaram uma curiosidade, por serem mais espontâneos, mais descuidados e bobos. De certa forma, acho que são mais livres (os motivos, não importam agora)... Esses dias, vi uma entrevista com um dos criadores dos Minions explicando o porquê de não haver nenhum minion feminino, e a resposta dele foi ótima! Algo como "meninos são bobos, meio estúpidos e idiotas. Não dava para imaginar um Minion feminino." — bem, não foi com essas exatas palavras, mas foi algo mais ou menos assim. Hahah Adorei! Tinha uma época em que eu desenhava bastante meninos também (em estilo mais parecido com o mangá, sexys). Mas ando com vontade de tentar captar essa essência espoleta deles nos meus desenhos (e assim aproveitar para treinar mais poses). Mas, antes, estou ainda apenas rabiscando, para ver se consigo me adaptar às linhas masculinas infantis... e descobri que eles ficam melhor sem cílios (no meu traço atual, pelo menos).


Ah, comprei uma caixinha de giz de cera, para tentar colorir alguma coisa com eles (os passarinhos acima). Acho que a última vez que colori com giz de cera foi quando tinha uns, sei lá, seis anos. E olhe lá... A Lidy quem me inspirou a tentar isso, com um dos seus posts! ♥ Na verdade, eu sempre achei que giz de cera fosse material escolar só para crianças — assim como tinta guache... Mas tenho re-descoberto muitos materiais maravilhosos com os ilustradores que tenho encontrado por aí. :)





Estou pensando em escanear alguns deles, para colorir digitalmente. Acho que ficarão melhores com alguma cor... E falando em cor, resolvi aquarelar esses dois aí de baixo (já postei eles no instagram). :)




Esse primeiro, não é nada muito original (alguém no meio de folhagens), eu sei. Mas quis testar colorir muitas folhas, assim. Não curti muito o resultado, mas acho que valeu para o teste... E o seguindo, quis trabalhar mais com o azul mesmo.

Aproveito o post para mostrar a vocês a minha camisa! xD já faz algumas semanas que ela chegou, e eu havia esquecido completamente de exibí-la aqui. D: Já postei ela no Face e no Instagram também. Mandei-a fazer pela Colab55 mesmo, para testar, e super aprovei! xD O tecido da camisa é muito bom, e a impressão tem uma ótima qualidade mesmo. :) Lembrando que, se vocês quiserem alguma outra ilustração que não esteja lá, podem me pedir uma customizada só para você também. :)




Obrigada por acessar o blog! ♥
Me encontre também aqui:
Deviantart | Facebook | Instagram | Tumblr

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Calendário do mês de Agosto


Ae, o calendário do mês de Agosto. Demorei, mas não falhei! T_T
Espero que gostem. :)

Edit: o calendário para pc, deixei aqui (imagem abaixo), pois não sei porque diabos o Picassa (onde hospedo as imagens) está diminuindo o tamanho dele. Se alguém souber como resolver isso, me avise, por gentileza T_T



Obrigada por acessar o blog! ♥
Me encontre também aqui:
© 2016 BIAREYS.COM.BR ALL RIGHTS RESERVED. Tecnologia do Blogger.
© Bia Reys: ilustrações
Maira Gall