Livro: O Mágico de Oz



Ironicamente, ou não, o primeiro livro que trago para cá, após aquele post sobre bestsellers, é um clássico mesmo. :p Acontece que estou cursando uma disciplina sobre literatura infantojuvenil nesse semestre, e a professora nos pediu para lermos o Mágico de Oz. Então, li, né!?

Ou melhor, o reli. A primeira vez que o li, tinha menos de 11 anos. Foi para um trabalho escolar, que nem lembro mais. E lembrava menos ainda da história. E, então, eis que, há duas semanas, a  professora solicitou que a turma lesse o dito cujo, mas sorri comigo mesma, por que tinha guardado um bom sentimento com relação a ele (embora não lembrasse dos detalhes da história). Como não tinha mais a minha edição do livro, fui à livraria comprá-lo, me perguntando porque diabos já não tinha feito isso antes, né.... :/

E a edição que consegui comprar foi essa, coisa mais linda! *_* Além da capa dura com essa ilustração maravilhosa, o livro é recheado com outras ilustrações lindas. E, na empolgação, levei Alice no País das Maravilhas, também (que ficará para um outro momento). Ainda estou cobiçando comprar Peter Pan, da mesma editora, com uma capa igualmente linda. *_* E ainda estou namorando um livro com os contos dos irmãos Grimm. T_T essa disciplina está reacendendo em mim o gosto por contos de fadas...

Enfim, para quem não conhece a história, o livro conta sobre a incrível viagem de Dorothy, uma garotinha de oito anos (segundo a minha prof., pois o livro não conta a idade dela), e seu cãozinho, Totó, que, acidentalmente, foram parar no meio de um ciclone, levados dentro de sua casa.  O ciclone, então, a carrega até uma terra completamente desconhecida, do outro lado de um deserto (ou além do arco-íris). Após aterrissar, ela sai de casa e descobre que, sem querer, matou uma bruxa. A partir daí, muitas coisas incríveis acontecem com ela e Totó, que partem numa aventura. Assim, ela encontra um espantalho sem cérebro que fala, e parece ser o mais inteligente de todos; um homem de lata que, sem coração, é o mais bondoso e solidário; e um leão covarde, que é o primeiro a se arriscar nas situações mais perigosas que surgem pelo caminho até o mágico.  

Além de abordar essas questões humanas, através da personificação de sentimentos (o animismo), o livro está cheio de simbolismos que vai desde as cores utilizadas nas descrições — ao todo, há 7 cores: o cinza, o amarelo e o prata, o azul, o verde, o vermelho e o branco; e que não foram escritas de graça, há um motivo por trás delas — às criaturas monstruosas que aparecem ao longo do percurso. Não vou entrar no mérito disto, pois há inúmeras resenhas falando sobre isso pela internet. Quero contar sobre o trabalho que fizemos. :)

Após lermos o livro, a professora nos pediu para que víssemos o filme, aquele de 1939 com Judy Garland, para que escrevêssemos um texto falando sobre as diferenças entre o livro e a adaptação. O filme é um musical, bastante consagrado pela mídia, que carrega uma série de histórias e polêmicas por trás das filmagens. Uma coisa que me chamou atenção enquanto via o filme, é que em várias cenas o cenário de fundo era feito de pinturas. Dá para ver direitinho que são ilustrações, e achei isso bem interessante, pois não tinha visto ainda nenhum filme que tivesse sido produzido dessa forma, e fiquei me perguntando o trabalho que não deve ter dado fazer esse filme, sem todos os recursos digitais que dispomos hoje. Afinal, todo o cenário era feito à mão, desde as fantasias e efeitos especiais, aos cenários...e de modo algum daria para dizer que foi tosco, pois foi tão bem feito, que a sensação que tinha, enquanto via o filme, era de que eu simplesmente estava numa sala de teatro vendo uma peça! *-*

Bom, as diferenças são várias, entre livro e filme. Mas de jeito nenhum dá para dizer que o livro é melhor — como uma crítica, pelo menos. O filme realmente abstraiu várias cenas no livro, mas também acrescentou detalhes sobre a vida de Dorothy que não há no livro. E são detalhes que enriqueceram a história, por que elas se complementam super bem. 

Continuando, a professora solicitou que procurássemos uma boa resenha, e criticássemos a resenha com base no que vimos no livro e filme. A resenha que escolhi não era muito extensa, mas bastante interessante, pois analisava um aspecto que não tinha sido discutido em sala de aula: o aspecto teosófico da história.

Eu escolhi este, As raízes ocultas de O Mágico de Oz, mas agora, procurando-o para postar aqui, descobri que o engraçadinho do autor mais ou menos copiou o conteúdo de outro blog (este aqui, bem mais completo D:).

Segundo o autor da resenha, Baum (autor do livro) era membro da Sociedade Teosófica: "uma organização oculta, principalmente baseada nos ensinamentos de Helena P. Blavatsky, que visa extrair as raízes comuns de todas as religiões a fim de formar uma doutrina universal."

A resenha, então, começa com uma comparação interessante com o filme Matrix (sim!). Oz, para quem não sabe, não é realmente um mágico. Ele é um impostor que caiu naquelas terras sem querer, e acabou ficando por lá. Ele é o governador da cidade das Esmeraldas, e é tido como alguém muito incrível, capaz de fazer qualquer coisa.... Assim como o Oráculo, em Matrix, que se acreditava capaz de muito, mas apenas persuadiu Neo com palavras a acreditar que ele fosse o que quisesse ser. E Oz é assim, no final das contas, ele apenas convence os amigos de Dorothy de que já possuiam tudo aquilo o que queriam ter.

E, então, o autor da resenha questiona sobre Deus. Seria Oz, a representação de Deus (de qualquer religião que fosse). Por que estamos sempre pedindo forças, coragem, sabedoria para encararmos nossos problemas, sendo que, na verdade, todos tem isso dentro de si. E ele deixa uma pergunta cretina, afinal, quem precisa de Oz? (oi, Deus!) No entanto, no livro, Dorothy meio que precisou (e ele ainda meio que falhou com ela! :/ ), né. Então, não me decidi ainda se concordo com a resenha, ou não.

Além disso, o resenhista compara a busca de Dorothy à jornada espiritual que algumas religiões pregam sobre o nosso destino. E ele lembra que, no filme, a estrada de tijolos amarelos começam com uma espiral, o mesmo símbolo do ciclone. E a própria estrada amarela, em si, é uma referência a um dos ensinamentos Budistas que fala sobre o "caminho dourado" como a jornada da alma para a iluminação. Não seria isso, a referência para o paraíso, de acordo com a cultura cristã?


Bem, vamos lembrar que se trata de uma história de ficção. Mas achei essas informações bem interessantes e, no mínimo, curiosas. De certa forma, me faz olhar para a história com outros olhos. Recomendo a leitura dos blogs para que quiser ler o livro, ou relê-lo. :)

Ah, falando sobre essas coisas, até parece que se trata de uma leitura chata (e espero que meus comentários aqui não tenham ficado assim, chatos, também T_T), mas não é! Juro que não! Adorei ler mesmo (mesmo que não tenha captado quase nada sobre esses simbolismos e mensagens ocultas, se não fosse pela professora! xD). A linguagem do texto é super tranquila, e flui muito bem. Pelo menos, nesta edição do livro. Estou comentando sobre isso, por que acho que é interessante iniciar uma leitura de um clássico tendo em mente algumas informações. Facilita um monte a compreensão do texto. Aliás, essa é uma dica super valiosa que aprendi durante o curso: ao iniciar a leitura de um clássico, leia antes alguma coisa sobre o autor, a época em que ele escreveu o livro, e alguma coisa sobre o livro, que não seja resumo da história. ;) Ajuda MESMO.


E na próxima, falarei de um bestseller, sim! xD aliás, mais um que vai ficar no meu criado mudo, com os poucos que deixo ali como favoritos ♥



Não resisti, e acabei criando uma fanart com as personagens! ♥ Pena que a casa saiu com sérios problemas de perspectiva, mas estou fingindo que foi proposital. u.u

Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui: 

Comentários

  1. Esse desenho é incrível, eu tirei um print dele e tenho no celular! :P (Ladrona de artes, porque sim). E eu adorei esse livro, lembro que já quis comprá-lo, mas como tinha muita coisa por ler, acabei esquecendo... Acredita que nunca li? ): Mas eu lembro que tem ilustrações lindas também! E ah, fico no aguardo por Alice porque era outro que eu queria e adorava o formato do livro! <3

    E ah, eu não lembro se foi você quem pediu, mas tá aqui o link do outro blog que fiz, de fotografias.
    http://neuro-mancer.blogspot.com.br/ ♥ Esse vai ser mais autoral, não pretendo usar nenhuma imagem que não seja minha, e vai ser só bobeiras do cotidiano. UHASUHAS Beijos. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sobre direitos autorais, todo cuidado é pouco. acho digno blogs que postam só fotos próprias mesmo. mas tem bastante gente que nunca leu o mágico de oz. Eu nunca li Alice no país das maravilhas. T_T só vi o filme da disney, mas agora vou ler o/

      bom, eu pedi o link sim, se outra pessoa tbm pediu, nao sei! uaiehuieah mas podeixar que já to seguindo la pra comentar em tudo! xD bjss :***************

      Excluir
  2. Fiquei com muitaaa vontade de ler esse livro agora! haha! Eu vi o filme faz uns dois anos e adorei, é muito bom mesmo. E de jeito nenhum a sua resenha passou a impressão de ser um livro chato. Eu gosto mais de livros que tenham alguma coisa por trás da história, algum significado, ou pelo menos que o autor queira ter passado alguma coisa por trás do livro. Livros sem isso geralmente são aqueles chamados "vazios" (na minha opinião de leitora de clássicos, aheau). Eu já li o Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho e o que ela encontrou por lá, e olha, até me decepcionei um pouco. Achei o Mágico de Oz bem melhor. Enfim, não vou te dar spoilers, e aguardo a próxima resenha!
    Beijos!

    http://sabado-chuvoso.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adorei o filme também! se puder, leia o livro mesmo, acho que vais gostar. :) já comecei a ler Alice no país das maravilhas... até agora, estou gostando. e já tenho algumas ideias formuladas sobre ele aieuhaie
      bjss :*************

      Excluir
  3. Menina, acredita que nunca li esse livro? Mas eu tenho um histórico de leituras obrigatórias esquecidas no tempo, porque eu só fui ler O Pequeno Príncipe esses tempos. Tenho muita vontade de ler, e acho que poderia ter sido um que eu poderia ter pedido ao meu namorado no kit que eu fiz de aniversário hahaha.
    A sua ilustração ficou lindíssima!
    Beijos!

    Zona de Conspiração | Facebook da Zona

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um kit de livros??T__T vou ter que exigir isso do namorado também! xD iaueheui mas acredito, sim, pq nunca li alice no pais das maravilhas também. :D
      obrigada pelo comentário sobre a fanart! <3
      bjss :************

      Excluir
  4. Oi, oi! O mágico de OZ é um dos livros que desejo ler faz um tempo já. Eu já passei várias vezes pela mesma edição que você comprou, mas em todas as vezes acabei optando por outros livros. Esse da Alice no País das Maravilhas, da mesma editora (que tem junto o pais dos espelhos) é ótimo. Não sei se você já leu a história, já que comprou o livro... xD então não quero dar spoilers. Tudo que tenho a dizer é: você nunca mais vai esquecer essa história. Sério, é muito, muito boa.
    O livro do Peter Pan eu estou lendo agora. =) Estou curtindo muito - tem uma pegada non-sense que eu não sabia que seria tão forte. Como não terminei, não sei se será tão marcante quanto Alice. Pelo menos, pra mim foi bem marcante.
    Enfim, adorei a indicação de leitura e a resenha! Me fez ter mais vontade de ler a história. E o fanart ficou muito adorável - esse leãozinho está tão fofo que dá vontade de apertar até sair o recheio. =3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oieeee! xD pois leia mesmo! Vale à pena ler. :) e ver o filme, se ainda não viu... eu comecei a ler o da Alice ontem, e estou adorando também *_* e olha só, tu tá lendo o do Peter Pan! T_T escreva sobre ele também! Obrigada pelo comentário sobre a fanart...apesar dos erros grotescos com perspectiva na casa, né T_T (até adicionei esse comentário no post, que tinha me esquecido mesmo) aiuehaui.
      bjsss :*************

      Excluir
  5. A perspectiva existe para ser quebrada. xD Afinal, é só uma conveção. E olhando a imagem como um todo, não se nota que a perspectiva está "errada" não. Está tudo ótimo, a meu ver. =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "A perspectiva existe para ser quebrada." ótemo! aiuehaeuihau T_T

      Excluir
  6. Respostas
    1. é ótimo mesmo! :)
      obrigada pela visita e pelo comentário, Rafaela!
      bjss :***********

      Excluir

Postar um comentário

Agradeço aos que reservarem um tempinho para comentar! ♥
Ah!, se tiver alguma sugestão de post ou quiser mandar alguma dúvida, ou qualquer mensagem, vou amar receber *-*

Postagens mais visitadas