sábado, 30 de maio de 2015

Ilustraday: Música favorita




Ufa, consegui! No penúltimo dia! T_T Penei muito pra achar uma música que pudesse ilustrar o ilustraday deste mês, dentre tantas opções, e cheguei a cogitar não participar. Mas, então, eis que por acaso, surgiu a Saturnine da banda holandesa The Gathering. A música faz parte do albun If Then Else, da antiga formação quando a maravilinda Anneke assumia o vocal.

A Saturnine faz parte da trilha sonora da minha vidinha, do final da minha adolescência, quando conheci o namorado. ♥ No início do relacionamento, ficávamos horas apenas ouvindo música e conversando. E essa é uma música que me chamava bastante atenção, que ficou fortemente gravada na minha memória por causa de uma frase do refrão:

"You don't need to love me all the time".
"Você não precisa me amar o tempo todo."

Acredito que essa seja uma frase bastante forte, com algum impacto. Custou um tempo para essa linha fazer algum sentido para mim, mas ela finalmente veio depois de algumas brigas com o namorado (apesar de ela valer para família também). E ela me fez repensar algumas coisas sobre a relação, sobre expectativas e sobre eu mesma.

Enfim, deixei a música tocando, e fui deixando o lápis rabiscar no papel o que quisesse, e eis que veio essa ilustração. Acredito que ela tenha a ver com o vídeo clipe mesmo, que se passa, em grande parte do tempo, à noite. E há nele uma cena em que uma menina evanesce. Aquela cena ficou bem marcada na minha memória também e foi meio que impossível separá-la da ideia, porque acho que faz sentido com relação as nossas expectativas, uma vez quebradas. Me parece ser bem assim que acontece. De repente, aquele encantamento (mascarado de expectativa) vai sumindo aos poucos, até a gente ver que a outra pessoa é apenas uma pessoa, e que era eu quem estava vendo coisas onde não havia (e nunca houve!). Mas creio que isso seja o amadurecimento falando mais alto também. :)
Enfim, espero que gostem.

Ah, para quem quiser ver o vídeo, basta clicar aqui. Não sei por que não consegui indexá-lo aqui no blog (ele não está no youtube porque tiraram de lá, então tive que correr atrás de outra fonte, o Metalvideo).

Obrigada por acessar o blog! ♥
Me encontre também aqui:
Deviantart | Facebook | Instagram | Tumblr

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Resgatando um velho hábito e trabalhando com luz e sombra



Quem me acompanha no instagram, viu que postei ontem essas imagens. São ilustrações bem diferentes do que estou acostumada a mostrar aqui para vocês, sim. Mas, elas resgatam a vontade que eu tinha de desenhar rostos — afinal, assim como muita gente que começa a desenhar, creio eu, também desenhava rostos. Foi depois de muito tempo, esforço, estudo e prática que finalmente consegui encontrar o meu estilo de desenho, embora ele ainda precise passar por transformações e aprimoramentos... Mas, ontem, me bateu uma vontade de fazer algo diferente.

E o engraçado é que quando peguei o lápis para começar a desenhar ela, a única coisa que eu tinha em mente era desenhar um rosto feminino e usar aquarela para colorir (treinar mais um pouco o que estou aprendendo com a Mary). Mais nada. Aí, no meio do processo de cores, eu pensei em fazer algo colorido no cabelo, meio à la Agnes Cecile (diva das divas das aquarelas), mas confesso que detestei o resultado, e pensei em fazer algo diferente. Tenho visto muita gente meio que "copiar" o estilo dela, que pensei com meus botões: por que ser mais uma copia? Mesmo que seja apenas para estudo, apenas como prática, não gostei da ideia de tentar mais do mesmo. Então, peguei minha caneta preta da Magic-Color (tão maravilhosa que mesmo você tendo acabado de passar ela no papel, não borra com água!) e o resultado acabou sendo esse. Passei a caneta em todo o cabelo que tinha acabado pintar colorido em tons de azul e amarelo, para cobri-lo com a escuridão das trevas! xD Talvez seja o reflexo do meu dia. Talvez eu apenas ainda esteja inspirada no Entrevista com o Vampiro, por ela ter saído tão sanguinolenta... Sei lá.



E para fazer companhia a ela, resolvi desenhar um rosto masculino, numa tentativa de repetir o processo de colorir rostos, trabalhando com luz e sombra (meu terror!). E foi assim que ele surgiu.

Ah, a ideia e vontade de desenhar ela foi tão repentina, que nem tirei fotos do processo, mas com ele, eu consegui fazer com mais calma e tirar algumas.






Os dois saíram cheios de defeitos, mas mesmo assim fiquei satisfeita com o resultado, tendo em vista que fazia tanto tempo que não desenhava em outro estilo que não fosse das minhas bonequinhas cabeçudinhas e fofinhas! :3 Não sei dizer com que frequência vou repetir isso...mas achei legal de mostrar aqui para vocês. Pelo menos, espero que gostem. T_T

O material utilizado neles foram basicamente o lápis, para a base do desenho, caneta preta da Magic-Color, nanquim para os detalhes pontilhados e alguns fios e cabelo, e tinta naquim branca para os detalhes em branco. Além da aquarela, é claro. :)

Obrigada por acessar o blog! ♥
Me encontre também aqui:
Deviantart | Facebook | Instagram | Tumblr

domingo, 24 de maio de 2015

Como não amar Hora de Aventura?


Terminei de ver o último episódio, e resolvi comentar a série aqui. Admito que comecei a assisti-lo despretensiosamente, sem muitas expectativas. Na verdade, até então, eu achava que era mais um desenho meio besteirol. Mas um amigo me recomendou, dizendo que era ótimo, insistindo que eu tinha que ver. Então, fui lá ver o tal desenho. Ver "qualé quilé". E quando vi que cada episódio tinha em torno de 11 minutos, apenas, então, pensei, e por que não? E depois de uns dez episódios vistos, já estava completamente apaixonada pelo menino aventureiro e seu cãozinho mágico que fala!

Como o título sugere, hora de aventura mostra as aventuras de um menino que sonha em ser herói. E mais do que resgatar princesas em apuros (resgatando o padrão de contos de fada), ele mostra honra, moral e ética. Finn, o menino, busca sempre um jeito de fazer as coisas do modo correto. Nunca rouba, nunca mata, nunca trapaça. Está sempre em busca do que é justo e correto. Ele ajuda os fracos e oprimidos, sempre de maneira heroica e honrada. Acho que muito mais do que caçar aventuras, num resgate pela infância não consumada, Finn vive numa busca por si mesmo, pela sua identidade. Há episódios em que ele, até mesmo, parece lutar contra si mesmo, contra seus medos e receios, como naquele episódio em que ele precisa nadar, e encontra consigo mesmo numa batalha pelo que quer e julga ser o certo para si.

Acho que não tem como não se apaixonar pela animação. Os mundos que o autor criou são incríveis, e criativos, mesmo com alguns personagens estranhos (como o Lemongrab — uma criatura criada pela princesa Jujuba, que vive em crises existenciais - super pertinente, já que é uma criatura criada) cada um com sua princesa. O que dizer da princesa Jujuba, uma cientista maluca que governa o mundo dos doces! (geralmente, cientistas são sempre retratados por homens, mas, aqui, temos uma mulher o/). "Lá, todo mundo é doce" - ela ainda diz :3 E a princesa Fogo, meio bipolar (com seus defeitos, e que mesmo assim Finn a adora). A Marceline, uma vampira que não bebe sangue, apenas frutos vermelhos. E a Caroço, com seus caroços altamente sedutores? xD E não podemos esquecer do Rei Gelado, um vilão solitário que vive no frio — como ele próprio às vezes o é, mas, principalmente, creio que a analogia se refere a como ele se sente, pois só quer alguém para amá-lo, para aquecê-lo.

Bom, a partir daqui, acho que darei alguns spoilers mais pontuais, então, fiquem avisados! :)

E falando em amor, também há romance na história. Afinal, Finn está entrando na adolescência, e começa a se interessar por meninas. Tem sua primeira decepção amorosa com a Jujuba, talvez um leve quedinha pela Marceline, mas é com a princesa Fogo, a mais complicada, com quem ele namora! ♥ E vemos ele enfrentar algumas dificuldades no relacionamento com ela, devido à natureza da princesa. :) E tudo muito cheio de inocência e bravura, porque ele quer que dê certo! ♥♥

Ah, e voltando à princesa Caroço, uma coisa que achei muito legal também é que o Hora de Aventura não tem preconceitos. Se um um biscoito (menino) quer ser princesa, por que não? Finn e Jake ajudam! Afinal, dentro da pureza e inocência infantil, tudo é possível. E a própria princesa Caroço me parece uma versão de uma princesa transexual (por causa do seu vozerão). ♥

Bom, é bem verdade que há uma pitada de humor meio escrachado, mas também há cenas com humor mais inteligente. Algumas coisas estão nos detalhes, como as expressões das personagens que fazem toda a diferença. E por falar em detalhes, o traço simples do autor, misturada à ilustrações de paisagens que me lembra muito jogos em flash, repletos de cores que saltam da tela, casa muito bem à história — como toda criança que precisa de estímulo cromático para se desenvolver. Os episódios contam a história de maneira sucinta, mas suficiente para captarmos a essência que cada episódio carrega.

Também percebi o leve "q" de musical, quase sempre que a personagem da Marceline aparece. ♥ E fiquei encantada com o quanto ela se emociona com suas próprias canções que, embora sejam simples, como toda criança consegue se expressar, são de todo o coração.

Enquanto eu via os episódios, uma coisa foi me martelando na cabeça: tudo aquilo era fruto da imaginação do Finn. E, no último episódio da quarta temporada (que, para mim, foi um dos melhores!), eis que veio a minha confirmação. Finn é um garotinho de 13 anos (presumo eu. não me lembro se a idade dele foi citada em algum momento) com uma imaginação muito fértil. Afinal, como vimos no último episódio, ele vive numa fazenda, sem muita coisa pra fazer, solitário. Então é assim que ele passa seus dias: entre aventuras imaginárias com seu cão, seu melhor amigo. ♥

Como não amar Hora de Aventura, né?


Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui:  

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Links da semana



Acabei, meio que sem querer, negligenciando o post de links da semana na semana passada, mas nessa não dava pra deixar de lado, com tantos links acumulados. :) Acho que tem, pelo menos, um link para cada gosto aqui.

♥ 10 Aplicativos para escritores.Essa é para os que curtem escrever.
♥ Papel de parede para crianças pintarem. Sabem a onde de livros para colorir? É passado, agora a onde é colorir paredes! xD Espero que a moda pegue (e barateie o preço), por que vou querer um desses no meu quarto! :D
♥ Pincéis de aquarela. A Ana Lú fez um post muito bacana sobre tipos de pincéis para aquarela, dando mais algumas dicas valiosas sobre como conservá-los. 
Processo Criativo. A Ana Lú mesmo recomendou esse vídeo em um post. É um vídeo com relatos de alguns artistas e designers falando como se desenvolve seus processos criativos. Bem bacana.
♥ Mad Max: estrada da Fúria. aqui e aqui. Fui no cinema com o namorado, essa semana, para vermos Mad Max, e saímos de lá extasiados! Quem não viu, VEJA! Sério. Eu ia escrever meus comentários sobre o filme, mas essas duas resenhas já falaram tudo e um pouco mais. Só senti falta de comentários a respeito da estética do filme, que é arrasador! Meio velho oeste, com aqueles tons alaranjados, misturado a algo que me lembra um leve steampunk! AMEI mesmo (apesar de ainda esperar um filme f♥dástic♥ totalmente em estilo steampunk). Enfim, leiam as resenhas e convençam-se do quanto o filme é bom. :D
♥ Kolo: tente adivinhar a cor. Alguém postou em algum lugar (no fim, só salvei o link do aplicativo mesmo) sobre esse joguinho. Achei a proposta bem legal, para quem lida com cores. Nele, você tem que identificar o tom certo da cor que aparece. E na medida que vai avançando, o nível vai dificultando.
♥ Fontes lindas. E mais fontes aqui. Tenho visto um monte de gente postando "fontes gratuitas", como se realmente fossem gratuitas, mas, cuidado! Sites como o Dafont, entre outros, não disponibilizam fontes totalmente gratuitas. Se disponibilizam, são pouquíssimas. A maioria, são gratuitas para  uso pessoal. Isso significa que, se você tem um blog, que vende ou faz propagando de produtos, já deixa de ser pessoal. Afinal, de alguma forma, você está lucrando com algo.
♥ Liderança equivocada.Um "artigo" bem interessante para quem curte quadrinhos. Nele, o autor fala um pouco sobre algumas disparidades no mercado. Enquanto de um lado temos o número crescente de publicações independentes de quadrinhos nacionais nas livrarias, por outro, a falsa ilusão de que o mercado brasileiro está indo muito bem. Estaria mesmo se tivéssemos estúdios trabalhando com isso. Mas, por enquanto, temos apenas o Mauricio de Sousa. Gostei até dos comentários no post. :)

Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui: 

quinta-feira, 21 de maio de 2015

HQ: Entrevista com o Vampiro: a história de Cláudia

 Não sou muito de HQ's, mas quando vi que essa era uma versão do Entrevista com o Vampiro, não pensei duas vezes. T_T E quando vi a arte, o coloquei na sacola, na hora. :D Eu nem tinha ouvido falar sobre ela, na verdade, achei muito por acaso na livraria, esses dias.

 Infelizmente (ou não, né), a editora proíbe a reprodução da obra na internet, sob qualquer forma. Por isso não coloquei aqui as páginas internas da HQ. Mas se quiserem ver, basta catar no google, pois vi que tem muita gente que não leu o aviso postando imagens das páginas.

Para quem não conhece, Entrevista com o Vampiro conta a história de dois vampiros solitários, que viviam em alguma parte da América (na HQ cita algo em espanhol, por isso presumo o México, mas agora não tenho certeza). Lestat, um vampiro legítimo, e Louis, que foi transformado por ele. Louis é meio que escravo de Lestat, e vive solitário e triste. Se alimenta de animais, pois foi incapaz de deixar toda a sua essência humana para trás. Mas, um dia, ele não resiste a uma menina, e se alimenta dela. Lestat, ao descobrir isso, fica feliz pela mudança de comportamento dele e resolve transformar a menina em vampira para acompanhá-los pela eternidade. Mas Cláudia, na medida em que os anos vão passando, aprisionada naquele corpo infantil, vai amadurecendo, e perdendo o gosto pela vida. Vivia em crises existenciais...

A HQ, em si, reconta a mesma história do filme (confesso que não li o livro, mas depois de ler a HQ, quero muito ler T_T), mas no ponto de vista da menina. Vai mostrando desde o lado doce que ela tinha, devido a sua infância, narrando a transformação dela até a conturbada mente da mulher que ela poderia ter se tornado. Então, vemos uma Cláudia egoísta, mesquinha, mimada, furiosa e triste.

É interessante notar como a ilustradora captou muito bem essa transformação, pois, no final, Claudia, apesar de manter-se sempre no corpo infantil, vai perdendo as feições angelicais e inocente daquela menina que foi deixada para trás - coisa que no filme não acontece.

E a arte da Ashley é linda, gente! *_* perdi um tempão nas páginas, só admirando os traços de cada detalha que ela criou ali. E as páginas são todas em tom sépia, se adequando à história da época Vitoriana. Eles ressaltam apenas o vermelho do sangue, e o laranja do fogo. E outra coisa que gostei muito, foi que não digitalizaram o traço da Ashley. Ele está cru, nas páginas (à lápis mesmo), sendo apenas colorido em algum software (photoshop ou ilustrator.. ou algum outro, sei lá). São bastante páginas, como podem ver na foto abaixo. Não há numeração, e não encontrei informações sobre isso na página de informações da editora, mas ele é bem grosso e pesado. E as páginas internas são todas em papel couchê, brilhoso, muito bem acabadas, com capa dura, colorida, e verniz dourado no título... Acho que valeu muito à pena pelo preço. Foi feito com todo cuidado e zelo. ♥

Uma curiosidade sobre a história, é que a Anne (que não é o nome verdadeiro da autora, né) escreveu o livro logo depois que sua filha, na época com 6 anos, se não me engano, morreu de leucemia. Para tentar superar a dor da perda, ela escreveu o livro em poucos dias. E Cláudia, então, foi inspirada na menina. :)




E aqui, a minha versão da Cláudia. ♥ baseada nesta foto.
  Eu queria ter feito algo mais "dark" nela, mas simplesmente não consegui evitar colocar cores T_T

Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui: 

domingo, 17 de maio de 2015

Domingo com sinuzite e ideias




Agora me dei conta de que até parece que passo mal todos os fins de semana. y.y juro que não! Mas esse tempinho cretino de Porto Alegre, de tira casaco, bota casaco, tira casaco, não é nada bom para quem tem o nariz ruim. ¬¬ mas já estou medicada, e o bom do nariz e cérebro descongestionado é que me permite pensar melhor. xD
desenhinho que acabei de fazer :}
Bom, eu estava viajando na maionese (ou seja, na internet) quando me deparei com o vídeo da Brendda Lima que ensina a fazer um fanzine sem grampeadores ou costuras... eu já tinha visto ele há um tempo atrás, mas topei com ele de novo, e resolvi revê-lo. O tutorial dela é super prático :D



Bem legal, né? E me lembrei que lá nos meus 9 ou 10 anos de idade (meados dos anos 90), eu cheguei a fazer uns zines com uma amiga. Naquela época, os fanzines tinham meio que virado febre entre adolescentes e crianças, e era uma coisa que se fazia coletivamente, com amigos. Foi uma experiência super legal. Misturamos colagens (a maioria com atores que admirávamos e escrevíamos poesias de boteco para eles auiehauie) e alguns desenhos. Então, pensei com meus botões...e por que não, feijão? Né?! E eis que tive a ideia de unir aquele pseudo projetinho pessoal de ilustrar músicas a um fanzine.

Então, assim, nasceu a fanzine Musicalilustrando. :D



Esta é a Lilu, e ela gosta de Música ♥

No final das contas, infelizmente, não consegui aplicar o tutorial da Brendda (mas fica o vídeo para quem quiser tentar), pois eu queria a capa mais durinha, e fiz com uma cartolina que tinha sobrando aqui em casa, o que me obrigou a usar o bom e velho grampeador mesmo. E quis aproveitar a ideia para utilizar o bloco de sulfites coloridas que tinha comprado há um tempo, também.

Nessas duas páginas, como podem ver, os papéis são de tom escuros, usei essas canetinhas maravilhosas que achei por acaso numa loja, esses dias, aqui no centro da cidade. Elas são mágicas mesmo. São à base d'água (quando secam a ponta, é só molhar na água e, pronto, funfam de novo), e riscam em qualquer superfície. E o engraçado dessas canetinhas é que quanto tu passa elas no papel, elas quase não ficam visíveis. Mas na medida em que vão secando, a cor vai surgindo. :)









essa ilustração foi baseada na imagem do vídeo da música

Na próxima, vou pedir ao namorado para escrever, pq ele tem a letra mais bonita T_T tô pensando em comprar um daqueles cadernos de caligrafia..

O fanzine ainda não está pronto, tenho 9 páginas preenchidas, de trinta e quatro folhinhas. :} Mas quando estiver pronta, pretendo mostrá-lo num videozinho, pra não encher de fotos aqui. Não vou vender ele, nem nada, é só uma coisa que me deu vontade de fazer, para resgatar alguma coisa que ficou na infância, talvez...

Ah, já ia me esquecendo de comentar... a Lidy ♥ me tagueou numa tag (duh) superdivertida no instagram. #conheça o artista. :) Fiz rapinho hoje de tarde, já que estava meio sem o que fazer. Vocês podem conferir clicando aqui. :)
Obrigada por acessar o blog! ♥
Me encontre também aqui:

sábado, 16 de maio de 2015

Livro: O Mágico de Oz



Ironicamente, ou não, o primeiro livro que trago para cá, após aquele post sobre bestsellers, é um clássico mesmo. :p Acontece que estou cursando uma disciplina sobre literatura infantojuvenil nesse semestre, e a professora nos pediu para lermos o Mágico de Oz. Então, li, né!?

Ou melhor, o reli. A primeira vez que o li, tinha menos de 11 anos. Foi para um trabalho escolar, que nem lembro mais. E lembrava menos ainda da história. E, então, eis que, há duas semanas, a  professora solicitou que a turma lesse o dito cujo, mas sorri comigo mesma, por que tinha guardado um bom sentimento com relação a ele (embora não lembrasse dos detalhes da história). Como não tinha mais a minha edição do livro, fui à livraria comprá-lo, me perguntando porque diabos já não tinha feito isso antes, né.... :/

E a edição que consegui comprar foi essa, coisa mais linda! *_* Além da capa dura com essa ilustração maravilhosa, o livro é recheado com outras ilustrações lindas. E, na empolgação, levei Alice no País das Maravilhas, também (que ficará para um outro momento). Ainda estou cobiçando comprar Peter Pan, da mesma editora, com uma capa igualmente linda. *_* E ainda estou namorando um livro com os contos dos irmãos Grimm. T_T essa disciplina está reacendendo em mim o gosto por contos de fadas...

Enfim, para quem não conhece a história, o livro conta sobre a incrível viagem de Dorothy, uma garotinha de oito anos (segundo a minha prof., pois o livro não conta a idade dela), e seu cãozinho, Totó, que, acidentalmente, foram parar no meio de um ciclone, levados dentro de sua casa.  O ciclone, então, a carrega até uma terra completamente desconhecida, do outro lado de um deserto (ou além do arco-íris). Após aterrissar, ela sai de casa e descobre que, sem querer, matou uma bruxa. A partir daí, muitas coisas incríveis acontecem com ela e Totó, que partem numa aventura. Assim, ela encontra um espantalho sem cérebro que fala, e parece ser o mais inteligente de todos; um homem de lata que, sem coração, é o mais bondoso e solidário; e um leão covarde, que é o primeiro a se arriscar nas situações mais perigosas que surgem pelo caminho até o mágico.  

Além de abordar essas questões humanas, através da personificação de sentimentos (o animismo), o livro está cheio de simbolismos que vai desde as cores utilizadas nas descrições — ao todo, há 7 cores: o cinza, o amarelo e o prata, o azul, o verde, o vermelho e o branco; e que não foram escritas de graça, há um motivo por trás delas — às criaturas monstruosas que aparecem ao longo do percurso. Não vou entrar no mérito disto, pois há inúmeras resenhas falando sobre isso pela internet. Quero contar sobre o trabalho que fizemos. :)

Após lermos o livro, a professora nos pediu para que víssemos o filme, aquele de 1939 com Judy Garland, para que escrevêssemos um texto falando sobre as diferenças entre o livro e a adaptação. O filme é um musical, bastante consagrado pela mídia, que carrega uma série de histórias e polêmicas por trás das filmagens. Uma coisa que me chamou atenção enquanto via o filme, é que em várias cenas o cenário de fundo era feito de pinturas. Dá para ver direitinho que são ilustrações, e achei isso bem interessante, pois não tinha visto ainda nenhum filme que tivesse sido produzido dessa forma, e fiquei me perguntando o trabalho que não deve ter dado fazer esse filme, sem todos os recursos digitais que dispomos hoje. Afinal, todo o cenário era feito à mão, desde as fantasias e efeitos especiais, aos cenários...e de modo algum daria para dizer que foi tosco, pois foi tão bem feito, que a sensação que tinha, enquanto via o filme, era de que eu simplesmente estava numa sala de teatro vendo uma peça! *-*

Bom, as diferenças são várias, entre livro e filme. Mas de jeito nenhum dá para dizer que o livro é melhor — como uma crítica, pelo menos. O filme realmente abstraiu várias cenas no livro, mas também acrescentou detalhes sobre a vida de Dorothy que não há no livro. E são detalhes que enriqueceram a história, por que elas se complementam super bem. 

Continuando, a professora solicitou que procurássemos uma boa resenha, e criticássemos a resenha com base no que vimos no livro e filme. A resenha que escolhi não era muito extensa, mas bastante interessante, pois analisava um aspecto que não tinha sido discutido em sala de aula: o aspecto teosófico da história.

Eu escolhi este, As raízes ocultas de O Mágico de Oz, mas agora, procurando-o para postar aqui, descobri que o engraçadinho do autor mais ou menos copiou o conteúdo de outro blog (este aqui, bem mais completo D:).

Segundo o autor da resenha, Baum (autor do livro) era membro da Sociedade Teosófica: "uma organização oculta, principalmente baseada nos ensinamentos de Helena P. Blavatsky, que visa extrair as raízes comuns de todas as religiões a fim de formar uma doutrina universal."

A resenha, então, começa com uma comparação interessante com o filme Matrix (sim!). Oz, para quem não sabe, não é realmente um mágico. Ele é um impostor que caiu naquelas terras sem querer, e acabou ficando por lá. Ele é o governador da cidade das Esmeraldas, e é tido como alguém muito incrível, capaz de fazer qualquer coisa.... Assim como o Oráculo, em Matrix, que se acreditava capaz de muito, mas apenas persuadiu Neo com palavras a acreditar que ele fosse o que quisesse ser. E Oz é assim, no final das contas, ele apenas convence os amigos de Dorothy de que já possuiam tudo aquilo o que queriam ter.

E, então, o autor da resenha questiona sobre Deus. Seria Oz, a representação de Deus (de qualquer religião que fosse). Por que estamos sempre pedindo forças, coragem, sabedoria para encararmos nossos problemas, sendo que, na verdade, todos tem isso dentro de si. E ele deixa uma pergunta cretina, afinal, quem precisa de Oz? (oi, Deus!) No entanto, no livro, Dorothy meio que precisou (e ele ainda meio que falhou com ela! :/ ), né. Então, não me decidi ainda se concordo com a resenha, ou não.

Além disso, o resenhista compara a busca de Dorothy à jornada espiritual que algumas religiões pregam sobre o nosso destino. E ele lembra que, no filme, a estrada de tijolos amarelos começam com uma espiral, o mesmo símbolo do ciclone. E a própria estrada amarela, em si, é uma referência a um dos ensinamentos Budistas que fala sobre o "caminho dourado" como a jornada da alma para a iluminação. Não seria isso, a referência para o paraíso, de acordo com a cultura cristã?


Bem, vamos lembrar que se trata de uma história de ficção. Mas achei essas informações bem interessantes e, no mínimo, curiosas. De certa forma, me faz olhar para a história com outros olhos. Recomendo a leitura dos blogs para que quiser ler o livro, ou relê-lo. :)

Ah, falando sobre essas coisas, até parece que se trata de uma leitura chata (e espero que meus comentários aqui não tenham ficado assim, chatos, também T_T), mas não é! Juro que não! Adorei ler mesmo (mesmo que não tenha captado quase nada sobre esses simbolismos e mensagens ocultas, se não fosse pela professora! xD). A linguagem do texto é super tranquila, e flui muito bem. Pelo menos, nesta edição do livro. Estou comentando sobre isso, por que acho que é interessante iniciar uma leitura de um clássico tendo em mente algumas informações. Facilita um monte a compreensão do texto. Aliás, essa é uma dica super valiosa que aprendi durante o curso: ao iniciar a leitura de um clássico, leia antes alguma coisa sobre o autor, a época em que ele escreveu o livro, e alguma coisa sobre o livro, que não seja resumo da história. ;) Ajuda MESMO.


E na próxima, falarei de um bestseller, sim! xD aliás, mais um que vai ficar no meu criado mudo, com os poucos que deixo ali como favoritos ♥



Não resisti, e acabei criando uma fanart com as personagens! ♥ Pena que a casa saiu com sérios problemas de perspectiva, mas estou fingindo que foi proposital. u.u

Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui: 

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Video: Serpentine Dance

Olá! Me desculpem pelo quase sumiço, mas essas duas ultimas semanas foram meio corridas para mim, entre trabalho e faculdade. Mas consegui me reorganizar, e voltarei "ao normal". :}

Bom, esse é mais um post importado do meu blog antigo. Já faz um bom tempo que sou apaixonada por esses vídeos vintage... São dançarinas, que criam lindas imagens coloridas com sua dança entre tecidos. Intitulado Serpentine Dance, como podem ver, é uma dança que mescla aquelas danças burlescas com saias e ainda tem um toque de balé no meio, criando esse efeito visual colorido maravilhoso... *-*

O vídeo em questão foi produzido em meados de 1899 (quando o cinema ainda era um bebê. *-*). Não sei bem como foi o processo, mas pelo que entendi da legenda do vídeo, todas essas movimentações foram feitas com centenas de fotografias e coloridas à mão (não me perguntem como!), então é algo bem impressionante mesmo. :)



Abaixo, outros vídeos semelhantes. No youtube há vários, tinha um (que não achei mais)inclusive, em que o movimento do tecido criava a ilusão de nudês na dançarina. Muito lindo *_* e nesse abaixo há uma dançarina fantasiada de fada, que me parece estar participando de algum ritual com sua dança. Achei bem propícia a ideia dela de se vestir de fada, por que a dança parece mágica mesmo. T_T





E aí, alguém já conhecia a Serpentine Dance?O que acharam? É lindo, né? *-*

Aqui embaixo, então, uma "fanart" da dança do primeiro vídeo (de acordo com a imagem do topo do post). Eu gostei tanto das formas que as dançarinas criaram com seus vestidos, que resolvi desenhá-los. Na verdade, eu estava mais afim de fazer traços mais soltos, por isso saíram meio "tremidos" (que foi proposital mesmo, para criar o efeito de objeto amorfo). Sei lá, eu gostei :D vocês podem clicar na imagem para vê-la num tamanho maior. :)

sábado, 9 de maio de 2015

É hora de aventura: com links da semana e o workshop da Mary


Olá!
Passei meio mal essa semana, com muita dor de cabeça e tontura (consequência por ficar tanto tempo com a cara grudada em monitores - no trabalho, na faculdade e em casa...) por isso não deu para atualizar muito o blog, e o post de links da semana acabou tendo que sair só agora. :( A boa notícia é que consegui me "matricular" no workshop da Mary Cagnin! \o YES! A Mary está abrindo uma turma para um workshop em São Paulo, e para quem não puder ir até lá, ela dará aulas particulares via Skype, que é o que vou fazer. Quando vi o anúncio em sua página, não hesitei! EU TINHA QUE FAZER! T_T Se mais alguém tiver interesse, entre em contato com ela pela página. ;)

Para quem não a conhece, ela é autora do Vidas Imperfeitas, um mangá publicado pela editora HQM. Ela é formada em Artes visuais, e trabalha como ilustradora e quadrinista há um tempo. O trabalho dela é incrível, e mal posso esperar para aprender coisas novas com ela! ♥

Enfim, vamos aos links que, pelo menos, acho que consegui alguns bem bacanas para mostrar para vocês. :)

♥ Logos by hand. Esse é o meu favorito! É um pequeno vídeo de um designer britânico desenhando à mão logos famosos. Desse link, só tenho uma coisa a dizer: quero MUITO aquela caneta! T__T

♥As 26 esculturas mais belas e originais do mundo. Um dos meus sonhos, ao entrar no curso de artes visuais da federal daqui, é poder trabalhar com esculturas. Acho incrível quem consegue esculpir, e fico sonhando em esculpir minhas bonequinhas! E nesse post tem umas esculturas muito legais mesmo.

♥29 referências literárias presentes no mundo da música. Aqui é um compilado de vídeos musicais que carregam em sua letra referências literárias (como o título diz, duh!). É bem interessante, para quem curte música e literatura. Há músicas brasileiras, inclusive. Mas, curiosamente, não há referência à literatura brasileira.

♥Plante sementes de limão e deixe sua casa super linda e cheirosa! Esse é para os que gostam do DIY. Um passo-a-passo de como plantar limão numa caneca! ♥ Não sei quantos aqui já cheiraram a folha de um pé de limão, mas, realmente, é super cheirosa! Só me pergunto quanto à caneca, afinal, um pé de limão cresce bastante! O.o


♥114 edifícios mundo a fora que derrubam todas as convenções de arquitetura tradicional. Esse é para os que curtem fotografia e arquitetura. :) O número 17, a Casa Piano, gente, é a coisa mais linda do mundo! *-*

E é isso, espero que tenham gostado de, pelo menos, um dos links. E como sempre, aproveitei o post para mostrar a vocês meu fanart das meninas do Hora de Aventura! ♥ Tô viciada nesse desenho!

Digam oi para o Jake e o Finn! <3


Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui:  

quinta-feira, 7 de maio de 2015

vídeo: Invenção do amor

Olá,
depois daquele mega post superpesado (eu, pelo menos, me senti assim), resolvi trazer algo mais leve. :)

Eu não costumo passar o dia inteiro no youtube, mas de vez em quando olho algum curta-metragem, e hoje encontrei esse vídeo muito encantador. A animação é simples, sem diálogos, meio monocromática, mas cheio de detalhes e requintes nas ilustrações; e a música de fundo, então, é maravilhosa! *_* É algo bem diferente do que eu já tinha visto, na verdade... As personagens, o cenário, parecem recortes de papel, exatamente como mostra a imagem aí em cima.

Bom, o vídeo fala sobre as escolhas que fazemos na vida. Ele começa pelo final, mostrando uma casa bagunçada, completamente revirada ao avesso, dando a entender que houve uma briga ali. E, então, temos um jovem solitário, com uma flor na mão, que põe para tocar uma música melancólica para rechear seu humor com mais tristeza ainda.

E, então, a história dá um salto no passado, e mostra um jovem inventor, num belíssimo cavalo mecânico, que encontra uma moça admirando uma flor no meio de um campo florido. Eles se apaixonam, têm um romance, se casam, e vão morar numa casa própria. E aí vem a parte crucial da trama; o jovem inventor é apaixonado pelo que faz, e sem se dar conta, acaba afastando sua mulher de si. Ele desenvolve diversas engenhocas mecânicas, fazendo com que a mulher sinta cada vez mais falta do que é natural. Talvez haja também um crítica ao nosso mundo moderno, em que cada vez mais nos afastamos da natureza, e das nossas relações interpessoais...

Enfim, não vou contar o final, vou deixar para que vocês façam suas interpretações. Infelizmente, não consegui trazer o vídeo para cá (por que o autor desabilitou o compartilhamento via html), mas vocês podem assistí-lo acessando este link. :) E vale à pena!

Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui: 

domingo, 3 de maio de 2015

Domingo chuvoso com aquarela



Hoje é Domingo, pede cachimbo...
Bom, como não fumo, e está chovendo aqui, achei melhor ficar com as aquarelas ♥.
Sabe quando, as vezes, a gente acorda com aquela vontade louca de sair de casa? Eu acordei assim, só que com vontade de mexer com as tintas! hehe. Mas não sabia muito bem o que fazer, só sabia que queria aproveitar o dia nublado para criar alguma coisa, e acabou saindo essa bonequinha com asas.

O que, aliás, reforçou a minha ideia de investir, esse mês, em algum livro de aquarela (já que perdi aquela oportunidade de fazer um curso T_T). Na internet se encontra bastante tutoriais, mas ainda sinto falta de algo mais técnico... Então, dei uma pesquisada na internet e, pelo que vi, não há muita coisa publicada por aí mesmo. O que encontrei foram estes:

♥ Aquarela - o jeito fácil que custa R$ 75,91 na Saraiva. T_T Esse, me pareceu ser mais foca nos tons pastéis com aquarela, o que me interessa bastante, apesar de não ser bem "o meu estilo". Mas é sempre bom conhecer técnicas novas... E ele ainda acompanha alguns materiais de brinde ♥

♥ Oficina de aquarela por R$ 64,60 na Saraiva. No site, ele diz que o livro traz "exercícios ilustrados com passo a passo e ainda aborda os materiais e as técnicas, a cor e perspectiva, o tom e o foco".

♥ Aquarela - a cor da memória por R$ 90 no submarino. Este "retrata a aventura crítica e estética de um grupo de artistas que valoriza a arte da aquarela com poesia, lirismo. Ele ainda traz relatos da experiência de educação dos sentidos baseada na ideia de que a ruptura e a vanguarda só propiciam o avanço da história quando fundamentadas na tradição". Esse, seria mais a nível de curiosidade sobre história mesmo...

♥ Guía Completa de técnicas de acuarela por R$ 115,00 na Saraiva. "Inspirações e conhecimentos técinicos, tanto para iniciantes quanto para os mais experientes".

♥ Aquarela e seus segredos por R$ 56, 05 na Saraiva, no site, ele diz que a obra "revela as técnicas de pintura em aquarela da artista Tereza Koch. Ilustrado, o livro mostra como lidar com as tintas e pincéis, dá noções de composição e perspectiva e ensina técnicas para controlar a umidade do papel, preservar a transparência das cores, os efeitos das aguadas e a maneira de explorar a luminosidade"... Parece bem interessante. :)

♥ Curso completo de acuarela por R$ 84,55. O livro está em espanhol, e explica os "diferentes passos que se pode seguir com aquarela, além de ajudar a adquirir confiança e destreza com as técnicas".

♥ Pintura e Aquarela por R$ 55,20 no site Fruto de Arte. No site, diz que o livro funciona como "uma ferramenta indispensável que fornecerá dicas e truques simples, mas extremamente eficazes, bem como conselhos úteis por forma a atingir resultados".

♥ Pastel - o jeito fácil por R$ 75,91. Não é aquarela, eu sei, mas achei interessante guardar aqui, para um futuro.

Enfim, se alguém conhece algum desses livros (e quiser comentar sobre eles), ou tiver algum outro para recomendar, serei toda "ouvidos". Aceito até livros em inglês. :) Também aceito presentes! xD






Obrigada por acessar o blog! ♥
Me encontre também aqui:
Deviantart | Facebook | Instagram | Tumblr

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Links favoritos da semana

 E eu já ia me esquecendo dos links favoritos dessa semana! T_T 

♥ Livros grátis. É isso mesmo. Achei esses dias esse link maravilindo que disponibiliza livros em pdf do Shakespeare, entre outros achados incríveis (como contos rápidos e livros de filosofia, além de outros autores brasileiros)! Vale à pena clicar. ;)

♥ Como seria a moda verão das princesas. Sou fã das princesas da Disney, e sou fã de ilustrações, e nada melhor do que ver fanarts delas por aí. :D E posso garantir que essa é uma das fanarts mais fofas que você já viu por aí delas! ♥ 

♥ Vampirologia - a verdadeira história dos anjos caído. Esse é um post antigo, que eu tinha salvo nos meus favoritos, e resolvi compartilhá-lo aqui. Aqui, vocês podem conferir uma pequena resenha sobre o livro. Houve uma época em que eu lia bastante sobre o tema, e curtia muito. Ainda assim, ainda pretendo por as mãos nessa belezura!

♥ Divagações sobre minimalismo. A Jaqueline escreveu um post muito bacana sobre seu novo estilo de vida minimalista que, creio eu, vale muito à pena aderir. Ainda mais nos dias loucos de hoje. 

♥ 35 lugares abandonados, mais bonitos do mundo. Adoro fotografia, adoro história. E esse post reúne os dois em fotos maravilhosas desses lugares esquecidos pelo homem. ♥

♥ 10 unique playing cards.  Aqui vai uma pequena coletânea de verdadeiras obras de arte em cartas de baralho!! T_T eu adoro cartas, tenho duas caixas com baralhos de tarot e uma com princesas da Disney que comprei só pelas ilustrações. Ainda pretendo criar o meu próprio baralho com minhas ilustrações. T_T O post está em inglês, mas basta babar nas imagens!

♥ Fairytale Book Covers By Latvian Artist Aniko Koleshnikova. Capas de livros elaborados (que parecem pular para fora dos livros) é a paixão de Aniko Kolesnikova, desde 2009. A designer-artista, é especialista na criação de capas com criaturas mágicas em polímero, inspirados na natureza. Ela cria coisas incríveis e sensacionais mesmo! Não sei dizer qual deles gostei mais! T_T este post também está em inglês, mas o que mais interessa, realmente, são as imagens! ;)

E é isso, essa é lista de links mais legais que acessei essa semana, espero que gostem também. :)

Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui:  

Calendário de Maio

Olá, este é um post rápido, só para deixar aqui o calendário de Maio. Na verdade, confesso que havia me esquecido dele T_T ... se não fosse pela Lygia ♥ me lembrar no post anterior! T_T Enfim, aí está o calendário deste mês, o que acharam? Espero que gostem. Lembrando que para ver a imagem em tamanho maior, basta clicar na imagem e salvá-la na sua área de trabalho! ♥

Obrigada por acessar o blog! ♥ 
Me encontre também aqui: 
© 2016 BIAREYS.COM.BR ALL RIGHTS RESERVED. Tecnologia do Blogger.
© Bia Reys
Maira Gall