domingo, 8 de março de 2015

livro: Amor em Jogo




Olá, hoje resolvi trazer meus comentários sobre o livro que acabei de ler, Amor em Jogo — títulozinho meio tosco esse, hein. O original se chama "Wild Cards" (algo como "cartas selvagens" em tradução literal). Mas entendo que ele tenha a ver com a história, já que os protagonistas são jogadores de futebol americano. E, sim, incluindo a mocinha...

Bom, vou tentar não dar muitos spoilers, comentar apenas alguns aspectos que notei sobre a história e narrativa...

Confesso que desta vez eu não tinha nem lido a sinopse antes de comprá-lo. Fui só pelo nome da autora, por ter lido um livro dela, há uns três anos, pelo qual me apaixonei e ainda pretendo ler mais uma vez: "Leaving Paradise". Esse livro, narrado sob dois pontos de vista (o do mocinho e da mocinha), conta uma história de sofrimento, arrependimentos e superação. Não vou entrar em detalhes, pois não é dele que vou falar. Mas acho que posso dizer que foi uma história muito bem bolada. Eu realmente gostei daquele livro, achei inesperado e os personagens não são aqueles adolescentes abobalhados que só querem saber da "garota ou garoto dos sonhos". A Simone coloca mais profundidade nas personalidades. Eles são adolescentes, mas não são imaturos — o que, de certa forma, se analisado sob o ponto de vista mais realístico, vemos que foge mesmo da veracidade. Mas, de qualquer forma, torna a leitura menos chata. Então, quando vi que Amor em Jogo era da mesma autora, sem pensar duas vezes, o comprei.

Deixe eu falar de Amor em Jogo. De cara, simpatizei com o rapaz; bonitão, fanfarrão, sarcástico, daqueles que não leva nada a sério, mas que, na verdade, usa todas essas artimanhas como uma máscara para esconder os problemas que ele carrega. Apesar de soar meio clichê, ele faz o que faz com consciência. Ele sabe o que está fazendo, e porquê — e foi o que me fez simpatizar por ele. Ele não quer pensar em seus problemas — que incluem a morte precoce de sua mãe, o distanciamento do seu pai, e uma madrasta meio desmiolada, infantil. Até aí, tudo bem, porque embora seja infantil não encarar os problemas, não dá para esquecer o fato de que ele é um adolescente. Gostei como ela desviou a questão da imaturidade para esse lado, e não o outro.

Continuando, ele foi obrigado a morar com a nova esposa do seu pai e o filho (de seis ou sete anos) que ela tinha com outro homem na casa dos pais dela. Lá, ele descobre porque a mulher agia como agia e, mais! Acaba conhecendo Ashtyn. A parti daqui, vocês podem conferir a exagerada sinopse que peguei do site da Saraiva, que conta mais sobre a Ashtyn:
Ashtyn Parker já está acostumada a ser abandonada, e aprendeu a não se deixar envolver demais em nenhum relacionamento. Quando sua irmã mais velha volta para casa, depois de dez anos, com um enteado a tiracolo, ela não quer saber de nenhum dos dois. O que Ashtyn não esperava é que o tal garoto mal-encarado e sem nenhum limite seria também... Irresistível.

Depois de ser expulso do colégio interno em que estudava, Derek Fitzpatrick não teve outra escolha senão ir morar com a esposa de vinte e poucos anos de seu pai, que está viajando pela Marinha. Além de ter que aturar a madrasta, ele recebe a notícia de será obrigado a se mudar da Califórnia para sua cidade natal, Illinois. A vida não tinha mesmo como ficar pior...

Ashtyn se esconde atrás de uma fantasia da vida perfeita: boa aluna, a única menina – e capitã! – do time de futebol americano da escola e namorada do quarterback promissor. Tudo parecia um conto de fadas. Ainda assim, ela se sente deslocada, e tem um plano para deixar tudo pra trás e correr em busca da bolsa de estudos em alguma faculdade bem longe de sua vida atual.

Tudo o que Derek menos quer é participar de mais um drama familiar – já bastam os seus. Agora, ele se vê preso a uma casa estranha, com pessoas que não conhece e em uma cidade bem diferente do que está acostumado. O que ele não esperava era que aquela garota briguenta e fã de junk food seria capaz de mexer tanto com seus sentimentos. Ainda mais ele, tão acostumado a descartar meninas por aí.

Para azar – ou sorte!? – de Ashtyn e Derek, o destino ainda guarda mais uma reviravolta na manga. Mesmo com hábitos, ideias e sonhos completamente opostos, um desejo incontrolável surge entre os dois e, juntos, eles enfrentarão o desafio de vencer os preconceitos e os tabus da cidade em que vivem, além de seus próprios medos, para se entregarem completamente a uma paixão avassaladora.
O que me cativou da parte da mocinha, foi esse lado forte que ela tem. Ela não é como a maioria das adolescentes que vive se lamentando pela porcaria de vida que tinha, ou pela droga de namorado, ou falta de um, ou pelos problemas com família, se achando a pessoa mais infeliz do mundo — como já li em alguns livros *cofcof*. Ela é determinada a seguir em frente, a superar as barreiras do preconceito contra o fato de haver uma menina num time de futebol americano — esporte praticado exclusivamente por homens em sua escola e região. Ela aspira se tornar a primeira, vencer as barreiras machistas que se levantam contra ela. Diferentemente da maioria dos adolescentes, ela não se importa nem um pouco com o que os outros vão pensar dela: se não tem maneiras delicadas e finas como alguns esperam que uma menina tenha. Ela está muito mais preocupada em ser ela mesma e seguir seus objetivos do que com qualquer outra coisa.

Ou seja, o livro tinha tudo para dar certo. Teve um inicio bem promissor com a entrada do "bad boy" em ação, ao melhor estilo clichê possível (talvez nem todos aqui saibam, mas eu amo clichês! Afinal clichês não seriam clichês se não fossem bons, certo?) com um trote escolar bem caprichado; o primeiro encontro deles foi bem criativo; os personagens foram bem desenvolvidos, assim como o relacionamento entre eles... No entanto, para mim, pelo menos, não deu certo. Li em outros blogs que parece que esse é o primeiro livro de uma trilogia. Se for, ainda dá para guardar alguma esperança, porque o final de Amor em Jogo deixou a desejar. A começar pelo fato de que Derek vivia dizendo para ela que ela não sabia nem da metade dos problemas que tinha, me fazendo sempre esperar mais dele, para no fim, não descobrirmos nada além do que já havia sido dito. Também há os problemas com a família dela, onde foi parar sua mãe? O que aconteceu ao seu pai, entre vários outros problemas não solucionados... É, pensando bem, acredito que haja continuação. Mas não sei se terei saco para lê-la...

Enfim, chegou ao final do livro, e eu já não estava mais aguentando alguns mimimis que a autora colocou. Havia muitas repetições, e coisas óbvias que não precisavam serem ditas. Teve algumas páginas que eu apenas rolava os olhos sobre as folhas, porque não estava aguentando. Mas detesto deixar um livro pela metade, na esperança que o autor ainda surpreenda com um final diferente... o que não foi o que aconteceu.

E é isso, essas foram as minhas impressões sobre o livro. Se alguém já o leu e tiver algo a discordar, podemos falar mais sobre isso. Acho que consegui não dar muitos spoilers, para os que não leram e tiverem curiosidade em lê-lo — afinal, cada um tira suas próprias conclusões. :) 

4 comentários

  1. Minha irmã está pirando por esse livro, e veja que lindo, ela acabou de acha-lo por 10reais na internet, uhuu, viva a Submarino.
    Tia, eu vi (se não me engano no outro blog) que vc tem a série de livro Feios, e como confio muito no seu gosto, acho que pelo modo que vc escreve e pelas coisas que vc fala, então de cara já me interessei pelo livro, minha irmã como leitora voraz tbm acabou querendo o livro, então aqui estou pra perguntar se vc já os leu e o que achou, achamos a coleção com um preço bacana e quero saber se vc achou mesmo que valeu a pena cada centavo.
    PS: Tia, eu é que morri de vergonha por vc ter visto o meu twitte, só depois que eu postei ela que eu vi que o bonitinho tava logo embaixo, que vergonha, mas eu tava torcendo pra vc não ver, enfim serafim que comeu capim no meu jardim (kkkkkkkkkk eu amo as suas rimas, serio mesmo, me acabo com elas), agora já foi. Amanur, eu fiquei preocupada agora, o capítulo da demorando mais por causa do meu comentário, Jesus Maria José, to com medinho, olha tia por Deus eu não falei por mal, nem pra ser chata, só, a sei lá, eu senti a necessidade de falar e falei, to aguardando a sua resposta.

    ResponderExcluir
  2. é, eu vi que ele está super barato. Eu ainda paguei 15 nele. e ele é usado, e veio com uma página rasgada! que ódio! Enfim, sim, eu tenho a série Feios, mas não consegui terminar o primeiro, de tão chatonildo que eu achei. E olha que detesto deixar livro pela metade... mas tinha muitos mimimis. A protagonista tava sempre choramingando atrás de um guri idiota lá... A história em sim, a ideia, é bem interessante, sabe. Viver num mundo diferente, em que as pessoas são obrigadas a fazerem cirurgias plásticas para serem perfeitas, pq o mundo se alimenta de coisas belas... é um conceito radical, mas interessante. E tem um grupo rebelde que é contra isso.... mas o autor enrola bastante, e acabou tornando a coisa meio cansativa. Até coloquei a série pra venda, numa página do face, mas depois vi algumas pessoas dizerem que a partir do segundo livro a história fica muito melhor. Não consegui vender eles ainda, talvez eu ainda dê uma segunda chance a ele... não sei.
    PS: relaxa, que não foi por tua causa. Na verdade, tu só confirmou o que eu suspeitava! ja ja te respondo lá ;)

    ResponderExcluir
  3. Ai, broxei legal com esse livro agora, acho que vou deixar pra comprar mais pra frente então, não gosto quando começam a enrolar demais, fica realmente muito cansativo. Vou falar com a Sis pra pesquisar, ver mais opiniões de quem já leu todos, ela gosta muito desse tipo de livro: distopia. Talvez vc só tenha ficado tão empolgada com o livro que acabou se decepcionando. Como vc gosta muito de ler vou deixar um dica de um livro pra ti, não sei se vc já ouviu falar ou mesmo se já leu, eu ainda não, mas a minha irmã e primo são completamente apaixonados por ele, então acho que deve mesmo valer a pena. Perdão, Leonard Peacock do Matthew Quick.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pode ter sido isso também, de eu ter ficado empolgada demais, com muitas expectativas pelo livro... isso acontece, realmente. Mas, olha, eu adorei a sinopse desse "Perdão, Leonard Peack"!!!! Com certeza vou dar um jeito de conseguir ele. *_* obrigada pela indicação!

      Excluir

Agradeço aos que reservarem um tempinho para comentar! ♥
Ah!, se tiver alguma sugestão de post ou quiser mandar alguma dúvida, ou qualquer mensagem, vou amar receber *-*

© 2016 BIAREYS.COM.BR ALL RIGHTS RESERVED. Tecnologia do Blogger.
© Bia Reys
Maira Gall