domingo, 26 de outubro de 2014

Anime: Witch Hunter Robin



Ahh, faz tanto tempo que não escrevo uma indicação de anime, que resolvi escrever sobre esse aqui. Acabei de assistir os 26 episódios, e vim correndo escrever.

De acordo com o Wikipedia, Witch Hunter Robin foi lançado em 2002 numa união entre a Sunrise e Bandai Visual. Foi uma das séries mais cultuadas não só por possuir um estilo visual único, bem mais realista que a maioria das séries de TV, para aquela época, como também por contar com uma trama no estilo das intrincadas histórias escritas por Tom Clancy, mas com toques mágicos e elementos paranormais. Ela foi desenvolvida especialmente para a tv, o que significa que não há mangá sobre a série. Infelizmente. Segundo o Wikipedia inglês, parece que também tentou-se fazer um live action, mas que, infelizmente, a ideia foi deixada de lado pelos produtores, por razões não esclarecidas... :/

A história, que leva nome da personagem principal, é focada em Robin Sena, uma japonesa criada num convento Italiano, que volta para o Japão aos 15 anos de idade. Ela é uma witch (bruxa) rank A, e se une a uma organização que caça witches que usam seu poder para provocar mortes. Esse grupo, então, é denominado Witch Hunters.

Os "witch" são homens e mulheres que podem usar "crafts" (poderes paranormais). Estes poderes podem ser de todos os tipos, desde o controle de elementos, telecinese, imortalidade, até bizarrices como implantar sentimentos de medo nas pessoas através do odor de oliva (sic).

Durante os episódios (cada um deles, conta sobre uma "caçada" diferente, até chegarmos no ponto "chave" da trama, onde as pontas vão se unindo), vemos a história da bruxaria, como tudo começou, tendo referencia até sobre as bruxas de Salém. Muito bacana mesmo. Eles mostram o primeiro witch, que nasceu há cerca de 3 mil anos, e era chamado de deus. Ou seja, para eles, os witch são a evolução natural da humanidade. Só que os humanos temeram o poder do deus e o suprimiram e controlaram, distorcendo tudo, como sempre fazem, e passaram a acusar aqueles poderes como sendo do diabo.

Na história, há toda uma explicação sobre a linhagem sanguínea dos witches, sobre suas origens, como são passados por gerações. Assim, muitas pessoas tem o gene dormente para desenvolver crafts, e isso pode acordar em qualquer idade. Normalmente as witches escondem suas habilidades únicas para não causar pânico entre as pessoas. Então, o anime dá mais enfoque a witches com problemas mentais, ou que não controlam bem suas habilidades, ou que agem de forma desordeira, vingativa, e acabam matando pessoas.



Os Witch Hunters são pessoas que secretamente caçam witches que matam pessoas, antes de serem noticiadas, ou mesmo investigadas pela polícia. Eles pertencem a STN, um grupo com bases no mundo todo, sendo a japonesa denominada STN-J.

Bom, sem mais spoilers, o que me motivou a olhar este anime foi não apenas por gostar de histórias sobre bruxos, como o design character. Uma amiga me recomendou ele, por saber que também gosto de mitologia, e a história mistura um pouco de fantasia com o misticismo, o que é um enorme plus para mim. Dai fui dar uma olhada nas imagens do google e me decidi que iria vê-lo. E ainda bem que o fiz. Não que ele seja o melhor que já vi, mas não há como não se cativar pela personagem da Robin — que apesar de ser adolescente, é bastante madura para sua idade (ou pelo menos foi a impressão que me passou) com seu jeito quieto, sempre na dela. Há um ar de mistério e melancolia em volta dela que, aos poucos, vai sendo revelado. O que me faz pensar que forma o par perfeito com Amon (seu parceiro na STN-J). Além de cabeludo (T_T) também tem lá o seu charme com aquele jeito caladão, misterioso. Há um momento até que chega a nos assustar, se fazendo passar por vilão... E então ele a salva. Clichês à parte, além disso, gosto bastante do trio feminino (da imagem acima) que trabalha nesse grupo. São três mulheres fortes, distintas, de personalidades marcantes. As personagens me pareceram bastante maduros, centrados, bem elaborados mesmo, tanto as femininas quanto os masculinos. Até mesmo a Dojima, com seu jeito meio desligada, mas que nos momentos cruciais se mostra bastante ligada. E não há como não mencionar o opening!!! A música é maravilhosa, e o vídeo perfeito, mostrando todo esse lado meio solitário da Robin, contracenando com o Amon. Um tanto quanto romântico, eu diria. Enfim, foi paixão ao primeiro episódio. Estou pensando até em escrever uma oneshot com eles, porque acho que merecem!!! T_T

2 comentários

  1. Sempre adoro as suas indicações! Já baixei o anime. Só falta o tempo para que eu possa assisti-lo.
    Maaaaas, eu queria falar um outra coisa que nao sei se cabe eu falar aqui, porem nao tenho outro meio :/
    Eu amo de coração as suas fanfics. Tanto as de drama como as de comedia. E me impressiona o fato de ser dois gêneros totalmente divergentes mas que apesar disso você consegue aborda-los de uma forma incrível.
    Antes eu só lia fics do universo de Naruto. Mas agora, desenvolvi uma paixão pelas fics de THG *--* você gosta?? Espero que sim, kkkk, porque eu sonho em ler uma fic sua sobre THG, com o lindo do peeta e a katniss. E claro, o gale também.
    Mas de qualquer forma, sou uma super fã sua e das suas fanfics maravilhosas de Naruto. Adoro os varios casais sasusaku que você criou!
    Beijos ;3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida! Fico feliz por saber que curtiu a indicação. Se você gosta desse gênero, acho que vais gostar mesmo. :) E que bom saber que gosta das minhas fics T_T. Mas sobre THG, confesso que não li os livros, não. Só vi o primeiro e o segundo filme, e foi meio que ao acaso, e nem sei se já saiu o terceiro. Eu não acompanho nada sobre a trilogia...Sinceramente, nunca me passou pela cabeça escrever alguma coisa sobre eles, não, mas quem sabe, depois de ver o terceiro, eu me inspire!? ;)
      bjss :****************

      Excluir

Agradeço aos que reservarem um tempinho para comentar! ♥
Ah!, se tiver alguma sugestão de post ou quiser mandar alguma dúvida, ou qualquer mensagem, vou amar receber *-*

© 2016 BIAREYS.COM.BR ALL RIGHTS RESERVED. Tecnologia do Blogger.
© Bia Reys: ilustrações
Maira Gall