domingo, 22 de abril de 2012

Anime: Natsume Yuujinchou







Título em Japonês: Natsume Yuujinchou.
Categoria: Série TV.
Episódios: 13.
Produtores: Brains Base
Gênero: Comédia, Drama, SobreNatural, fantasia.
Duração: 23 min. por episódio.


Sinopse: Takashi Natsume desde pequeno tem a habilidade de ver espíritos, fazendo com que sempre duvidassem dele, por isso manteve esse “dom” em segredo. Ele perdeu os pais quando ainda era muito pequeno, vivendo assim mudando de casa em casa. Faz um mês que Takashi se mudou para o mesmo lugar onde sua avó também morou, e lá também ele continua sendo perseguido constantemente por espíritos. Até que um dia ele encontra o espírito de um gato que o confunde com sua avó, que também tinha o poder de ver espíritos, e pergunta se ele tem o “yuujinchou”. Takashi descobre que o yuujinchou é um livro que contém os nomes de todos os espíritos que a sua avó derrotou, formando um “pacto” entre eles e o dono do livro. O gato tenta convencer Takashi a lhe entregar o livro, mas ele se recusa e diz que pretende devolver todos os nomes contidos no livro para seus donos. Agora com a ajuda do espírito gato, Takashi tenta dia após dia libertar todos os espíritos do livro.



Eu conheci Natsume através do mangá, da autora Midorikawa Yuki. Li várias edições até descobrir que o anime já havia sido lançado. Aí parei de ler o mangá, por que vi que a animação é muito boa, e se mantém bastante fiel à arte do mangá. A arte aqui não é tão atraente quanto a dos animes que comentei anteriormente, mas depois que nos habituamos passamos a gostar dela sim. Geralmente, dou preferência ao mangá, mas como são muitos os que quero lê, deixo alguns por conta do anime apenas.



Natsume é uma obra que faz bastante sucesso no Japão, tanto que acabaram de produzir a quarta temporada.  Tem 13 episódios cada, onde a primeira tem o um enredo que decorre durante o verão. Já Zoku Natsume Yuujinchou, a segunda, ocorre no inverno. A terceira se passa no outono, e essa quarta, por tanto, na primavera. 



Simplesmente não há como não se cativar por Natsume. À princípio, vemos o cotidiano do rapaz, que mora de favor com um casal que não tem filhos. Takashi, se não me engano, não conheceu a mãe, pois ela morreu logo depois que ele nasceu. E viveu por poucos anos com o pai, antes de o mesmo vir a falecer.  Sozinho, então, Natsume vai passando de parente em parente, mas todos pareciam rejeitar o garoto por ser estranho. Pois como ele tem a habilidade de ver espíritos, se assustava facil e constantemente. Além disso, por diversas vezes, era pego falando "sozinho".  



E assim ele foi crescendo, passando de uma casa para outra. Enfim, ele sofreu bastante na infância, por nunca ter conseguindo estabelecer sólidas relações de amizade — na escola, ele também costumava ser isolado, pois tinham medo dele —, tudo por causa da sua incompreendida habilidade em ver espíritos. Por este motivo, Natsume é uma pessoa tímida, fechada e com uma grande dificuldade em estabelecer ligações com as pessoas.



No entanto, a vida do menino muda completamente ao se mudar para a casa de um simpático casal, os Fujiwara. Natsume, que até então nunca tinha sido muito incomodado pelos espíritos que via (além dos sustos que levava, e alguns que tentavam falar alguma coisa banal com ele), começa a ser perseguido por várias criaturas que lhe exigem o chamado “Livro de Amigos”. Mas, na verdade, ele era confundindo com a falecida avó, Natsume Reiko, pela enorme semelhança que eles têm em comum. E este livro, simplesmente, é uma coleção de nomes de todos os demônios que a avó de Natsume derrotou enquanto adolescente. Dizia-se que, quem detiver o nome de um demônio no livro, conseguiria exercer controle absoluto sobre ele. 





É assim que Natsume acaba acidentalmente por libertar um demônio poderoso, chamado Madara, que também deseja o livro, mas que acaba se tornando o guarda-costas de Natsume. Mas, em troca, Madara ficará com o Livro de Amigos quando Natsume morrer. Adotando a forma de um gato gordo, Madara (ou Nyanko-sensei, como Natsume costuma chamá-lo) junta-se a Natsume em suas aventuras. Mas Madara, difrente do que aparenta ser, é uma entidade muito fanfarrona! A comédia que há na séria fica muito por conta dele, inclusive. Dei boas risadas dele. :)





Mas voltando, então, Natsume acaba por descobrir mais sobre seu passado, e que herdara a habilidade de sua avó. No entanto, ele descobre também que ela não era tão boazinha quanto ele. Reiko costumava ser uma menina mandona, brava, às vezes costumava maltratar os espíritos e os aprisionava de acordo com sua vontade.





Bom, o que Natsume Yuujinchou traz de especial, em minha humilde opinião, é o slice of life (pedaço de vida, em tradução literal), que está fortemente presente na série. Eu não tenho bem certeza ao que se refere exatamente este gênero, mas, ao que eu tenho notado, é quando a obra se foca mais na realidade, enfatizando os sentimentos de uma personagem e mostrando seu dia-a-dia. Os episódios unem a sensação de calma e mistério, de aventura e ação, de slice of life e simplicidade. 





Eu gosto bastante de séries que se enquadram nesta categoria, e acho que Natsume deveria ser ponto de referência para tal, pois é perfeito com aquele sistema de episódios mostrando uma estoria diferente a cada episódio. Ele consegue manter a atenção do espectador sempre presa na tela, naquela ânsia por saber o como vai ser o desfecho daquela trama; pois, apesar de todos serem bem diferentes uns dos outros, no final, trazem uma moral que se reflete de alguma forma no amadurecimento de Natsume. Ou seja, as estórias são todas bem articuladas.





Para os que podem se aventurar a ver o anime pela abordagem de espíritos e demônios, acho que pode dar com "os burros n'água". O tema principal deste anime é, sobretudo, a respeito de um rapaz solitário que guarda todos os seu problemas para si. É sobre suas relações e laços de amizades que vão se desenvolvendo, se fortificando, no dia-a-dia. 




Bom, essa quarta temporada, que foi a que acabei de assistir, eu diria que foi a melhor de todas. Foi, sem dúvidas, a mais significativa por que percebemos diversas mudanças no enredo. 



A começar pelo fato de que esta temporada se concentra muito mais nas relações do Takashi. Enquanto nas temporadas anteriores a personagem se metia em aventuras e confusões por causa dos espíritos, mas sempre com alguns flash backs explicando o passado do garoto, nessa temporada a autora optou por se focar mais no presente do Natsume; em como ele é agora, no que ele havia se tornado depois de toda a experiência pela qual passou na infância.. Aqui há um amadurecimento bastante perceptível tanto da personagem quanto da própria estória, que passa a ter mais profundidade. Natsume é mais forte, mais confiante, e tem domínio sobre suas emoções. Além disso, já está bastante acostumado com as aparições monstruosas que aparecem de repente. 



Nesta temporada, Natsume também aprende a confiar mais nos seus amigos. Ele descobre que não precisa mentir para proteger os outros, e que pode se deixar depender um pouco de seus amigos, por que eles oferecem a amizade verdadeira, e estão disposto a enfrentar os temores do garoto junto com ele. Ou seja, ele não está sozinho. Além disso, o passado dele é mais revelado. Ele costumava a manter suas lembranças trancadas no fundo do consciente, e fazia de tudo para não falar sobre elas. Mas ele é meio que obrigado a fazer isso, e descobre que não é tão ruim ter suas lembranças dolorosas, pois elas fazem dele o que ele se tornou. E é essa a mensagem que a série nos deixa ao final. :)



Enfim, amei, e recomendo mil vezes! Natsume mistura muito bem o drama, com comédia, ação e mistério. Jamais transmitiu aquela sensação de tédio, de repetição, ou qualquer coisa que a maioria das séries nesse estilo podem trazer. :)



#E Nyanko-sensei é "O" cara! auihauiahi





















Nenhum comentário

Postar um comentário

Agradeço aos que reservarem um tempinho para comentar! ♥
Ah!, se tiver alguma sugestão de post ou quiser mandar alguma dúvida, ou qualquer mensagem, vou amar receber *-*

© 2016 BIAREYS.COM.BR ALL RIGHTS RESERVED. Tecnologia do Blogger.
© Bia Reys: ilustrações
Maira Gall