domingo, 15 de abril de 2012

Anime: Inu x Boku SS






Título em Japonês: Inu x Boku Secret Service.
Categoria: Série TV.
Episódios: 12.
Produtores: Aniplex.
Gênero: Mistério, Comédia.
Duração: 23 min. por episódio.


Sinopse: Shirakiin Ririchiyo, atormentada pela bajulação e maus tratos que o nome de sua família infligiram à ela durante toda sua vida, decide se mudar e ficar sozinha, até que aprenda a ter confiança o suficiente para interagir com as pessoas sem ser rude ou machucá-las — mau hábito que a mesma desenvolveu devido a todos os problemas que o seu sobrenome lhe trouxe. Seus pais só concordam com isso caso ela vá viver na Maison de Ayakashi, comumente conhecida como Casa Ayakashi, um condomínio luxuoso onde só aqueles que são selecionados, podem residir. A cada pessoa residente desse lugar, é atribuído um agente do Serviço Secreto (S.S.), e, mesmo tendo rejeitado a companhia do agente à ela designado, Miketsukami Soushi jura à ela toda a sua lealdade e eterna proteção, dizendo que ela havia o salvo antes, mesmo que a mesma não se recorde disso. Mas, a verdade é que essa casa esconde outro segredo, e toda sua exclusividade é apenas um disfarce para encobrir o real motivo de apenas pessoas selecionadas poderem morar ali.













Inu x Boku também é conhecido como Youko x Boku, e é um mangá japonês escrito e ilustrado por Cocoa Fujiwara. Não sei bem como começar a falar sobre um anime que me surpreendeu tanto. Sei que nunca devemos julgar um anime (ou livro) pela sinopse, pois pode ser tão enganadora quanto trailers de filmes! E ainda costumo dizer: "nunca desista de um anime sem antes ver, pelo menos, os cinco primeiros episódios".. Essas dicas, definitivamente se valem aqui, em Inu x Boku SS.










Logo de cara vemos que é comédia. O primeiro episódio já vem cheio de tiradinhas engraçadinhas — ou com pretensão a serem engraçadinhas. O inicio, confesso, foi meio brochante; não havia nada demais e parecia algo muito bobinho, meio infantilizado, sem graça. E ainda encheram de fan service para atrair o público. Mas como a arte é muito fofa (vejam que lindas são as imagens *O*) continuei vendo. Eu repetia a mim mesma "veja até o quinto! Veja até o quinto episódio!" Hehe.





Foi o que eu fiz!, continuei vendo. E a cada episódio que se passava ia gostando mais, me surpreendendo mais com a trama. Ririchiyo é uma menina que vem de uma família muito rica, cujo sobrenome é mais importante do que qualquer relação que os familiares possam considerar. E isso era algo que pesava nos ombros da menina, pois era menosprezada pela família que se importava mais com o status do que com qualquer outra coisa. E como se não bastasse, seus colegas da escola a mantinham distante. Além disso, ela carregava o fardo de ser descendente de um Ayakashi — monstros da mitologia japonesa com poderes sobrenaturais.










De um tempo para cá, andei me interessando muito por lendas e mitos, e isso me chamou a atenção. Pois graças aos animes e mangás, eu já sabia que o japão era um prato cheio para quem gosta do assunto. 





Mas voltando ao anime, por ser quem ela era, Ririchiyo resolve se isolar para aprender a controlar suas emoções. Por causa da educação que recebera em casa, ela adquiriu o mau hábito de responder as pessoas com certo menosprezo, e sempre era taxada de antipática, metida, etc... Então, ela acreditava que se fosse isolada, conseguiria aprender a controlar sua língua afiada. Afinal, acima de tudo, ela tinha consciência do mundo que a envolvia e se sentia parte excluída dele. Só que Ririchiyo queria ser incluída, queria se envolver mais com outras pessoas, pois se sentia muito solitária... 





Eis, então, que ela vai para a Mansão Ayakashi, onde somente pessoas como ela moravam. A mansão é luxuosa, mora somente quem tem dinheiro, e ainda contam com o Serviço de segurança Secreto. Cada residente tem seu SS — no qual também são descendentes de Ayakashi.










Lá, sem a solicitação, ela ganha um agente. E este seria o Soushi Miketsukami, descendente do Ayakashi da raposa de nove caudas. Ela tenta se livrar dele, mas ele jura lealdade eterna a ela dizendo que sempre a conheceu e sempre desejou ser seu servo. Ela tenta esnobá-lo, afastá-lo, mas nada adianta; ele continua agarrado a ela como carrapato. E então, a relação dos dois vai se desenvolvendo aos poucos. Ela percebe como ele parece ter boas intenções e dedicar-se exclusivamente a ela, sem receber nada em troca, e isso vai cativando a menina. 





Boa parte da comédia fica por conta dele, inclusive. Notei também uma tirada sonora muito engraçadinha no anime. Tipo, está havendo uma cena de comoção, com uma musica melódica no fundo e, de repente, ela corta a cena com o som que indica non-sense (sem noção). Não sei se dá para entender o que eu quero dizer, mas enfim, teve várias cenas em que eu ri só por isso.





Bom, no meio da trama há algumas lutas, mas nada demais. São fracas e rápidas. Mas acho que tudo bem, já que o propósito dele é ser mais comédia mesmo. O que me deixou com o pé atrás foi a pouca comicidade, já que a proposta é ser cômico... Eles tentaram, mas não conseguiram muito. Mais para o final foi que senti mais a comédia. Junto com todo o drama, que foi revelado, e isso meio que tirou um pouco a graça. Acho que eles deveriam ter segmentado melhor as coisas. Deixado a comédia para o início, até para atrair mais o público, e despejado o drama no final; e não essa mistura, onde um anula o outro. Mas essa é minha humilde opinião...





Além disso, senti que as personagens foram pouco desenvolvidas, com exceção da Ririchiyo e o Miketsukami. Mas talvez isso seja resolvido em uma segunda temporada. 





O character design é bacana, mas nada extraordinário, nem muito elaborado. É bem comum, na verdade. Temos ternos, uniforme escolar entre um vestido aqui e uma saia ali. Na maior parte do tempo a Ririchiyo aparece de uniforme, ou vestindo a camisa branca (nas cenas de fan service). Eles alternam mais quando se transformam em yokais. Mas as vestimentas também não são nada extraordinárias.





Mas ainda falando sobre personagens, preciso falar do Zange Natsume. Ele é um meio-humano, meio demônio vestindo uma tiara de orelhas de coelho pretas na cabeça, e afirma ser capaz de "ver" as coisas por causa de sua herança demoníaca. Ele é uma pessoa muito alegre, um pouco intrometido. Boa parte cômica da série também vem dele, e seu lema é "todos devem se dar bem." Mas ele mostrou um lado meio sinistro quando faz sua primeira aparição. E é isso o que me surpreendeu. Ou, talvez, confundiu... Agente passa o tempo todo esperando para que ele dê as caras, banque o vilão, mas isso não acontece. No final, ele se mostra uma pessoa de bom coração, inclusive. Ele é meio misterioso, por que pouco fala sobre si. É daqueles personagens que gosta de fazer brincadeiras provocativas, com insinuações, mas fica sempre na dele. Tenho a impressão de que ele ainda vai virar a mesa...





Também gostei da Karuta. Ela também nos faz rir em alguns momentos. Ela parece viver no mundo da lua, sempre comendo algo, mas na verdade ela é muito perceptiva e atenta ao que acontece. Só não se expressa muito.





E por falar nela, lembrei dos vídeos de encerramento. São hiláarios!!! Nos primeiros episódios, acho que é sempre o mesmo. Mas depois do 7º episódio, se não me engano, passa ser um encerramento por personagem, onde cada um deles aparece cantando. O encerramento da Karuta é o melhor!!!





Não posso me esquecer também das tiradas poéticas que eles fazem. Quando uma personagem diz algo importante, eles alternam o cenário para uma tela preta, repetindo o que foi dito em forma de verso. Acho que isso deu um toque a mais no drama. 





Eu havia dito no início que me surpreendi com o anime, pois achei que ele seria muito bobo, mas a historia do Miketsukami é bastante profunda, e achei muito bem elaborada. Ele cresceu isolado num quartinho, tendo alguém que levasse comida para ele, como se fosse um animal enjaulado. Quando começou a compreender que as pessoas são movidas por interesse, ele começou, então, a manipula-las para o benefício próprio. Não vou dar detalhes para não estragar a surpresa (acho que já falei até demais :X).





Só posso dizer que o anime surpreende. Sobre os mitos japoneses, pouco foi mencionado, na verdade. A autora poderia ter se focado mais nisso. Com certeza tornaria tudo muito mais interessante. Ou, talvez, o mangá seja melhor. Não duvido que seja... Algumas explicações foram dadas, mas meio superficial. De qualquer forma, recomendo o anime para os que gostam de romance. O Relacionamento entre a Ririchiyo e Miketsukami é muito bacana, com direito a um beijo no final. *_*













 













2 comentários

  1. Yooo!Awnnnn *.*
    Agora eu me interessei em ver o anime! Hahaha realmente quando você vai assistir um anime ou dorama você tem que assistir pelo menos até o quinto episodio porque quando você menos espera já esta viciado!
    Adorei a resenha do anime!
    Kissus Ja ne

    ResponderExcluir
  2. ah, é muito massa o anime!! T__T e como é curtinho, tu vê todo ele em menos de uma semana T_T
    Mas é bem assim mesmo, tu vê os 5 primeiros, e te vicia! A nao ser que o anime for muito chato.. eu peguei um pra ver esses dias, mas nao me viciei nos 5 primeiros T_T o Beck, conhece? Enfim, que bom que gostou da minha pseudo resenha. hehe.
    bjss :*****************

    ResponderExcluir

Agradeço aos que reservarem um tempinho para comentar! ♥
Ah!, se tiver alguma sugestão de post ou quiser mandar alguma dúvida, ou qualquer mensagem, vou amar receber *-*

© 2016 BIAREYS.COM.BR ALL RIGHTS RESERVED. Tecnologia do Blogger.
© Bia Reys: ilustrações
Maira Gall