Filme: Os Mensageiros



Lançamento: 2007
Duração: 1h 24min
Diretor: Oxide Pang, Danny Pang
Elenco: Kristen Stewart, Dylan McDermott, Penelope Ann Miller
Gênero: Terror, Suspense
Nacionalidade: EUA

A família Solomon decidiu deixar a vida agitada de Chicago para viver numa pacata fazenda na Dakota do Norte. Logo Jess (Kristen Stewart), a filha adolescente, percebe o quão aterrorizante pode ser o isolamento, pois ela e seu irmão Ben (Evan Turner / Theodore Turner), de apenas 3 anos, vêem aparições que são invisíveis às demais pessoas. Quando estas aparições tornam-se violentas a sanidade de Jess passa a ser questionada por seus pais.

Bom, não tenho muito o que falar do filme. Confesso que esperava mais dele, por que li resenhas elogiando a trama, a direção, e até mesmo a atuação da Kristen. Mas confesso, também, que o que me levou a assisti-lo foi realmente ela. Ouvi dizer que ela estava ótima, e blablabla. Não sei se todos sabem, mas estou fazendo curso de teatro, dai minha curiosidade.

Na verdade, eu tenho um pé atrás com filme de assombrações. Sim, tia Amanur tem medo de filmes do gênero, por que costumo ter pesadelos com isso! ¬¬ Mas depois que comecei a fazer esse curso, passei a olhar para filmes com outros olhos. Vemos que a coisa é bem mais superficial do que parece. Hehe. Mas pela sinopse, vemos que é um filme bastante comum. Família de cidade grande que se muda para uma fazenda localizada no fim do mundo, cuja casa acaba por se mostrar mal assombrada. MUITO clichê, né?

O filme começa com cenas em preto e branco — memórias do passado da família que viveu da casa. Achei isso bacana, um diferencial (quase insignificante, mas enfim). E então somos levados para o presente, onde a família já estava com o pé na estrada, de mudança para a fazenda. Amei a casa, à propósito! Muito linda mesmo. Mas voltando ao filme, o que mais posso dizer? O suspense se mostra bem no início do filme, quando a família se instala na casa, e um senhor (com cara de velório) faz aparições repentinas. E eu já fui logo me perguntando "quem é o culpado?" Seria ele?

E então, lá pelas tantas, enquanto o pai retirava sementes de girassóis do carro, um bando de corvos surge comendo as sementinhas. E é, então, que um estranho surge, também do nada, bancando o salvador da pátria (não quero dar muitos spoiles) afastando os corvos. O cara, meio forasteiro, de botas, barba, cabelo comprido, se apresenta e oferece seus serviços em troca de comida. Eu me perguntei, novamente, se seria ele o vilão. Mas com o tempo desacreditei da ideia, por que ele parecia um cara pacífico, realmente com boas intenções.

Então, coisas "assustadoras" começam aparecer na casa. Brinquedinho que se mexe, aparecem marcas de unhas no chão, portas trancadas, manchas escuras nas paredes, porão assustador. Tudo muito clichê.

Enfim, continuei vendo.

Lá pelas tantas, Jess começa a ver coisas. Ela se assusta, conta para os pais, e eles acham que ela está fazendo birra para chamar atenção. Desde o início, o filme mostra que há um atrito entre ela e os pais, mas é apenas mais tarde, mais ou menos pela metade do filme, que é revelado o motivo das discussões. Achei isso legal (nada demais, mas ainda legal). Aí, eu fiquei me perguntando o motivo do título do filme, já que até então nada parecia justificar — os espíritos pareciam apenas querer machucá-la. Mas logo a razão vem à tona; Jess ouve "vozes do além" pedindo ajuda.

Um incidente acontece, a garota é machucada e fica apavorada. Ela conta para os pais, mas eles acham que ela está machucando a si mesma. Mas, inconformada com o que está acontecendo, ela vai atrás de informações sobre a família que morava lá, contando com a ajuda de um garoto com quem fez amizade. Mais aparições acontecem, com muito mais suspense. Aliás, com pretensão ao suspense, eu diria. Porque as cenas eram tão previsíveis que o suspense foi totalmente perdido. E ainda por cima, houve uma cena em que ele fora muito prolongado. E no final das contas, nada aconteceu. ¬¬

Ah!, outro detalhe importante que notei: senti um "q" de Birds (ou "Pássaros"), do Hitchcock, com todos aqueles corvos que apareciam. Eu me lembro muito bem desse filme, por que foi o segundo filme de terror da minha vida. Eu era pequena, fiquei super impressionada, e o filme ficou marcado na memória. E há uma cena que remete de maneira muito óbvia isso, quando os pássaros começam a atacar o John — o estranho que surge do nada para ajudar a família na plantação de girassóis. E no fim, não sei se foi essa a intenção mesmo, mas achei que quem merecia o titulo de mensageiro eram os pássaros, não os fantasmas. Por que eles aparecem quando o culpado pelas mortes surge, e desaparecem quando ele morre.

Senti um "q" de "O Chamado" também, com o fantasma que caminhava pelas paredes. Nessas cenas surgiam ruídos estranhos, como se os ossos do espírito se quebrassem — o que é estranho, porque fantasmas não têm ossos!

Ah, e tem o irmãozinho dela que, por causa de um acidente que aconteceu antes da mudança, não falava desde então. Mas ele tem papel importante na trama, pois é quem ajuda a garota a resolver o problema, e é o único quem via as aparições junto com ela. Aquela coisa de "crianças vêem tudo" (e logo ele, quem não podia falar, era quem poderia contar o que estava acontecendo também).

O final foi um fracasso, em minha humilde opinião. Tudo aconteceu rápido, e ainda não entendi como é que o pai dela, que havia sido letalmente ferido, surgiu para salvá-la, e ainda conseguiu toda aquela força para salvar a Jess. Totalmente irreal.

Mas no geral, acho que esse é um daqueles filmes para "matar o tempo". Se não tem nada melhor para ver, veja este filme. Por que ele não traz nada de inovador. O terror é fraco, mal vimos sangue; mal vimos fantasmas. Ele se propõe a ser terror, mas houve pouquíssimas cenas que realmente assustaram. Teve mais suspense, embora muito previsíveis também.

Sobre a atuação dos atores, bem... eu achei praticamente todos péssimos, com exceção do John Corbett. Ele foi muito convincente, do início ao fim. E a Kristen está melhor nesse filme, sim. Acho que ela se encaixa melhor para esses tipos de papéis. Nas cenas "aterrorizantes" ela foi bastante convincente. Mas assim mesmo ela irritou com os cacoetes dela. Ela parece não sair nunca da mesma personagem — que seria ela mesma, por que ela não larga da mania de fazer as mesmas expressões e mexer no cabelo, como faz em todos os filmes. Digo isso, porque imagino que seja mania dela mesma. E um ator não pode levar para as câmeras as próprias manias. Ele precisa separar o personagem de quem ele é, e a Kristen parece não saber disso...

Não resisti postar esse vídeo! Hehe. Acho ela linda (comentário que não tem nada a ver!), mas realmente merece nota cinco (e olhe lá) pela atuação.

Comentários

  1. Olha eu aqui!!! Sentiu muinha falta né?
    (Juuuura)
    A escola é uma merda! E PARA NOOOSSA ALEGREIAAAA hoje é sexta! Fique muito loca como o "Para Nossa Alegria". Se tu n viu, tem que ver... muito engraçado! Ah, o filme de terror que mais me deu medo foi O Chamado... ainda tenho pesadelos com a Samara! Já viu A Mulher de Preto? Todo mundo disse que era muuuito assustador... Tá, eu me assustei... mas n é pra tanto... Chamado é mais assustador! Mas no final eu fiquei "Vadia de merda!! Vagabunda!! Arda no inferno!!" Ah enrolei de mais... Fui
    Bjuxxxx
    Giovana Paludo

    ResponderExcluir
  2. tu voltou, pentelha! T___T bem que eu senti que isso tava quieto demais! XD
    Mas entendo o teu drama. eu voltei com as aulas na facul também, e sexta é dia de gloria e aleluia pra qualquer estudante mesmo T__T ahauiahiahuiai
    eu o chamado sim. aquele me deu arrepios também >_< e eu vi as duas versões, ainda por cima, a americana e a japonesa. essa A mulher de preto eu nao vi ainda nao. mas to muito afim de ver.... de repente, no proximo fim de semana eu vejo.
    bjsss :*******

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Agradeço aos que reservarem um tempinho para comentar! ♥
Ah!, se tiver alguma sugestão de post ou quiser mandar alguma dúvida, ou qualquer mensagem, vou amar receber *-*

Postagens mais visitadas